Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Felipão estreia diante do Operário-PR com missão de reerguer o Cruzeiro

Meta do experiente treinador é quebrar a série de quatro jogos sem triunfos na Série B

Redação, Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2020 | 09h39

Luiz Felipe Scolari é a grande e última esperança de o Cruzeiro ainda ter o que comemorar na temporada. O treinador assume a equipe na penúltima colocação da Série B do Campeonato Brasileiro com a missão de reerguê-la. Diante do Operário-PR, às 21h30 desta terça-feira, no Estádio Fernando Kruger, em Ponta Grossa, o experiente técnico inicia seu maior desafio num clube.

Quebrar a série de quatro jogos sem triunfos na Série B e engatar sequência de vitórias se faz necessário para o Cruzeiro não apenas se afugentar das últimas posições, como também resgatar a esperança de imediato retorno à elite. Ganhar, contudo, tem sido algo raro na divisão de acesso aos cruzeirenses. Em 16 jogos na Série B, a equipe mineira triunfou apenas em cinco. Três deles nas rodadas iniciais. Depois, partiu ladeira abaixo.

Matemáticos colocam os mineiros com somente 1% de chance de acesso. Felipão se agarra ao discurso de que "enquanto há chances, vamos lutar" para motivar seus jogadores a uma reviravolta na Série B.

São apenas dois pontos de distância do Náutico, primeiro fora da zona da degola. Mas 14 para a Ponte Preta, a última do G-4, o grande sonho dos mineiros. Espelhado pela bela arrancada que teve com o Palmeiras no título Brasileiro de 2018, ele inicia o trabalho tentando repetir aquelas oito vitórias seguidas com os paulistas.

Desde o acerto, na semana passada, Felipão vem frisando a grandeza do Cruzeiro e jurando que o time não ficará na Série B. "O momento atual é um pouco diferente, mas nós vamos trabalhar para mudá-lo." Com a covid-19, o experiente zagueiro Manoel desfalca o time. Como Léo já está machucado faz um tempo, a defesa terá os jovens Cacá e Paulo.

Na nona colocação, com 22 pontos, o Operário precisa ganhar do Cruzeiro para se reaproximar ao G-4. Os paranaenses vinham brigando pelo acesso, mas dois tropeços seguidos fizeram a distância ao G-4 subir para cinco pontos.

O time buscará a reabilitação após ter sido goleado em Maceió, pelo CRB, por 4 a 1, na rodada passada. E aposta no fator casa para voltar a ganhar. O técnico Gerson Gusmão não terá o meia Pedro Ken, suspenso, além de Tomas Bastos e Chorão, infectados com a covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.