Felipão fala em armadilha de Aranha em caso de racismo

Felipão fala em armadilha de Aranha em caso de racismo

Treinador diz frase polêmica direcionada aos jornalistas: 'Vamos ver se eles vão cair na esparrela (armadilha) do Aranha de novo'

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

16 Setembro 2014 | 18h57

O técnico Luiz Felipe Scolari resolveu blindar o elenco do Grêmio antes do jogo de quinta-feira contra o Santos, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida marca a volta do goleiro santista Aranha ao estádio onde, no dia 28 de agosto, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, ele foi chamado de "macaco" e "preto fedido" por parte dos torcedores gremistas. Por causa do comportamento da sua torcida, o clube gaúcho foi excluído do torneio pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Nesta terça-feira, durante treino no Estádio Olímpico, Felipão foi até a beirada do campo, onde estavam os jornalistas, e insinuou que o goleiro do Santos forçou aquela situação no jogo realizado na Arena Grêmio. "Vamos ver se eles vão cair na esparrela (armadilha) do Aranha de novo", disse o treinador.

A ordem de Felipão é que os atletas deixem as polêmicas de lado e se concentrem apenas no jogo de quinta-feira. O Grêmio vive bom momento no Brasileirão. Está invicto há quatro rodadas (três vitórias e um empate) e, se derrotar o Santos, pode entrar na zona de classificação para a Libertadores - ocupa hoje o sexto lugar.

Após o treino, o goleiro Marcelo Grohe e o lateral Pará se esquivaram do assunto Aranha. "O Felipão pediu para a gente jogar futebol e ficar focado só no jogo. Para nós, essa situação é passado e está com o departamento jurídico. Já falamos tudo que tínhamos de falar. Nosso foco está no jogo diante de uma grande equipe. A torcida vai comparecer para nos apoiar e esse é o papel dela", disse Marcelo Grohe.

Pará seguiu o discurso do companheiro. "O Felipão já teve uma conversa com a gente. É caso encerrado. Estamos preocupado apenas em jogar futebol. O Santos veio aqui, ganhou da gente (aquele jogo da Copa do Brasil terminou com vitória santista por 2 a 0), mas com o apoio da torcida temos de nos impor. O que acontece fora do campo não cabe à gente", afirmou o lateral.

Mais conteúdo sobre:
futebol Grêmio Felipão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.