Felipão: "Foi a maior emoção da minha carreira"

?Foi a maior emoção da minha carreira. Um jogo típico de Libertadores. Perdi dois quilos, mas não faz mal. Vou comer e beber a noite inteira e ganho mais quatro.? Luiz Felipe Scolari estava emocionado e orgulhoso pelos jogadores que comanda na seleção portuguesa. Visivelmente cansado, o treinador efetivamente ?jogou? neste domingo na sofrida vitória de Portugal sobre a Holanda, por 1 a 0, em Nuremberg. ?Faz parte da minha vida buscar resultados, muitas vezes, em maiores dificuldades?, disse o treinador. ?Só espero retribuir a Portugal todo o carinho que eles sempre dedicaram a mim e a minha família.?E Felipão fez isso durante os 90 minutos do jogo, que valeu a classificação para Portugal às quartas-de-final do Mundial da Alemanha. Em sete minutos já estava vermelho de raiva com os dois pontapés maldosos da defesa holandesa sobre Cristiano Ronaldo. Foi à loucura e chutou uma garrafa plástica de água quando Pauleta insistiu em ficar em posição de impedimento. No momento do gol de Maniche, abraçou todos os componentes do banco de reservas e cinco minutos depois foi fazer carinho em Cristiano Ronaldo, que chorou copiosamente ao ser substituído por causa de uma contusão na coxa. Aos 36 minutos, Felipão torceu muito para a bola de Van Persie não entrasse no gol de Ricardo. Mas o sofrimento do técnico brasileiro nem havia começado. Quase invadiu o campo quando o juiz russo Valentin Ivanov expulsou Costinha no final do primeiro tempo. Logo no início do segundo tempo, ficou paralisado com a bola na trave de Cocu. Mas quando Heitinga não devolveu a bola para Portugal, após Ricardo Carvalho se machucar, Felipão perdeu a esportiva. Xingou o juiz reserva Marco Rodríguez de todos os palavrões que conhecia e liderou a invasão do gramado por parte dos reservas. ?Foi um jogo disputado, mas normal. Com alguns excessos dos dois times. Só tenho a reclamar da expulsão do Deco?, disse o treinador, calmo, acostumado com os jogos mais catimbados. Felipão usou de toda sua experiência ao segurar a substituição de Figo por Tiago. Num primeiro momento, houve uma falta e então ele esperou o jogo prosseguir para fazer a alteração e parar a partida mais uma vez. Nos seis minutos de acréscimo quase que tocou na bola e esbarrou em Heitinga, que passou próximo dele na lateral do campo. Com o apito final de Ivanov, a explosão de alegria. Junto da comissão técnica, festejou como nunca. Até um trenzinho foi improvisado. ?Agradeço a todos os jogadores pela boa vontade apresentada hoje [domingo]. Foi um jogo heróico.?Quanto à Inglaterra, Felipão respeita o adversário, ao qual venceu nas quartas-de-final da Eurocopa de 2004, mas confia demais em seu elenco. ?Terei 21 jogadores [Deco e Costinha foram expulsos], que se mostrarem a mesma vontade de hoje [domingo], que jamais havia visto, poderão superar a maior qualidade inglesa.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.