Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Felipão garante que não deixa Portugal

O técnico Luiz Felipe Scolari disse hoje que está "muito satisfeito e feliz" no comando da seleção portuguesa, negando rumores de que vai se transferir para o Real Madri, da Espanha. Após rápido encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Base Aérea de Brasília, Felipão comentou a difícil situação do Grêmio, time que já dirigiu, no Campeonato Brasileiro. O Grêmio está na zona de rebaixamento, mas, na avaliação do técnico, o time gaúcho poderá sair do sufoco se vencer o maior rival neste fim de semana, o Internacional. Felipão entregou ao presidente uma camisa autografada do jogador brasileiro Deco, que atua pela seleção de Portugal. "Como o Lula é um homem muito elegante, eu dei uma camisa de um jogador elegante", disse o técnico. "Nas caminhadas que ele fizer usando a camisa, vai lembrar de Portugal", completou. Segundo Felipão, é importante dar "apoio" e "reconhecer" o trabalho do presidente. "Ele precisa ter auto-estima para enfrentar os problemas do País." Ao lado de parentes, Felipão disse que gosta muito do presidente, uma autoridade "muitas vezes incompreendida". "Temos uma divergência: o Lula continua corintiano e vascaíno", brincou o técnico. Antes de ir à Base Aérea, Felipão se reuniu por duas horas com o ministros dos Esportes, Agnelo Queiraz. A assessoria do ministro não informou o motivo da audiência. O técnico se limitou a dizer que é amigo do ministro.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2004 | 17h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.