Felipão já fala em ganhar a Eurocopa

Em sua apresentação oficial como técnico da seleção portuguesa, Luiz Felipe Scolari afirmou que seu objetivo é conquistar a Eurocopa de 2004, que será disputada em Portugal. ?Nós não estamos aqui só para fazer um bom trabalho. Estamos aqui para realizar o desejo do povo português, que é disputar o título da Eurocopa e vencer?, disse Felipão, que neste sábado, em Lisboa, assinou o contrato de 18 meses, justamente até o final do campeonato europeu de seleções.Para trabalhar com ele em Portugal, Felipão levou seu auxiliar e eterno escudeiro, Flávio ?Murtosa? Teixeira, e o sobrinho e preparador físico, Darlan Schneider. Já o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madaíl, disse que ?Scolari é considerado o melhor treinador do mundo?.Felipão comentou, na entrevista coletiva, que já está assistindo aos jogos do Campeonato Português e adiantou que qualquer astro de sua equipe precisa trabalhar como parte da grupo. ?Um time não se faz com uma estrela. Se há um jogador de renome, deve integrar-se com os outros membros do elenco?, avisou. Ele preferiu não dar os nomes dos possíveis convocados para o amistoso do dia 12 de fevereiro contra a Itália, em Florença. ?Primeiro é necessário ver como cada um deles joga e depois, o que pode representar para o grupo.?Embora tenha se mostrado favorável à existência de um líder na seleção, declarou: ?O mais importante é o espírito de equipe e não vou falar de um nome, como Luis Figo, porque em Portugal há muito jogadores bons que podem servir de referência?.Felipão admitiu ter recusado ofertas para trabalhar na Ásia e na América do Sul, pois acredita que comandar Portugal é um desafio maior para ele. Depois de levar o Brasil ao penta na Copa da Coréia/Japão, disse que lhe falta conquistar apenas o título do campeonato europeu de seleções. ?Vencer a Euro 2004 completaria um ciclo na minha carreira.? Aos 54 anos, Felipão é o segundo técnico estrangeiro a comandar a seleção portuguesa. O outro também foi brasileiro: Otto Glória, em 1982 e 83.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.