Felipão joga copa de olho no Paraguai

Conquistar a Copa América da Colômbia é um dos objetivos do técnico da seleção, Luiz Felipe Scolari, mas a prioridade é armar uma base para enfrentar o Paraguai, pelas eliminatórias do Mundial de 2002. Ao convocar os jogadores para a disputa a competição, nesta sexta-feira, o técnico ressaltou a importância de ter, finalmente, cerca de 20 dias para treinar a equipe, apesar da ausência de alguns dos atletas consagrados. Houve apenas duas mudanças na lista anunciada no mês passado: a inclusão de Mauro Silva e a surpreendente volta de Denílson.Da primeira convocação, foram cortados Eüller, machucado, e Fernando, que dará lugar a Mauro Silva. Recuperado de contusão, o volante do La Coruña deve ter condições de treinar na próxima semana. Substituto de Eüller, Denílson foi a novidade da lista. Em má fase na última passagem no futebol brasileiro, no Flamengo, o atacante foi chamado por suas atuações no Real Bétis, na segunda divisão espanhola."O Denílson tem mais de 18 assistências jogando como ponta na Espanha", explicou Scolari, elogiando a capacidade do jogador de driblar. Depois de longa ausência, ele volta à seleção em um momento propício, pois o treinador quer que todos arrisquem jogadas.Scolari minimizou a ausência dos jogadores de ?peso?, como Rivaldo, Cafu e Roberto Carlos, titulares que já estavam fora, embora tenha demonstrado irritação em relação a Romário. Ressaltou que, mesmo sem eles, vai poder trabalhar com "80% do grupo do jogo com o Uruguai". Com esse elenco, pretende realizar um trabalho tático, que é sua prioridade, para deixá-los adaptados ao esquema com três zagueiros para a partida com o Paraguai.Mais do que instruções táticas, Scolari pretende que, se tornando mais ousada, a seleção volte a ser temida pelas outras equipes. "O time tem de se impor. Fazer o adversário ter medo do jogador A, B ou C", disse. Neste contexto, Scolari reconheceu que o Brasil tem sempre a "responsabilidade" de tentar conquistar qualquer competição que participar. Mas não acredita que a pressão por uma vitória do time brasileiro aumente por causa da provável ausência da Argentina. "Não vejo apenas a Argentina como principal rival. O Paraguai, a Bolívia, o Uruguai também querem ganhar a competição."Ciente da necessidade de buscar o título, Scolari não pretende fazer "experiências ou observações". O esquema com três zagueiros só deve ser implantado a partir do segundo jogo, quando ele contará com o zagueiro Juan, do Flamengo. Juntamente com Belletti, do São Paulo, o jogador rubro-negro está liberado para disputar as finais da Copa dos Campeões - ambos só se apresentam no dia 12.Os outros atletas apresentam-se na segunda-feira, em São Paulo e no Rio, e viajam em seguida para Cali, em vôo de carreira. No dia seguinte, treinarão no CT do América de Cali. A estréia na Copa América será na quinta-feira, contra o México.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.