Mayama Kimimasa|EFE
Mayama Kimimasa|EFE

Felipão lamenta tragédia com a Chapecoense e oferece ajuda

Treinador estava voando da China para o Brasil no momento do acidente

O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2016 | 15h17

A tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín, onde disputaria a primeira final da Copa Sul-Americana, comoveu o mundo inteiro. Com Luiz Felipe Scolari, técnico pentacampeão mundial com a seleção brasileira e atualmente no Guangzhou Evergrande, da China, não foi diferente e o profissional, que estava justamente dentro de um avião no momento do acidente, declarou todo o seu luto às 71 pessoas que perderam a vida nesta terça-feira.

"Gostaríamos de manifestar o nosso apoio aos familiares, à direção, a todos os atletas e aos sobreviventes desse trágico episódio. Dizer a todos que nós do Guangzhou, comissão técnica, atletas e dirigentes nos colocamos à disposição da Chapecoense e das pessoas para que a gente possa também dar esse apoio. Não apenas com abraços, com carinho e palavras nesse momento. Mas também com algum gesto", disse Felipão, em comunicado emitido por sua assessoria de imprensa.

O treinador, que trabalha na China desde 2014 e já conquistou inúmeros títulos "do outro lado do mundo", ainda se colocou à disposição para ajudar na reestruturação do clube de Chapecó. "Possivelmente, nós lá da China, possamos fazer algo nesse momento tão difícil do futebol, numa situação tão diferente, que nós nunca imaginávamos. Um abraço a todos vocês", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.