Felipão lembra feitos históricos contra Corinthians

Algumas das melhores lembranças do torcedor palmeirense em relação ao clássico contra o Corinthians têm o técnico Luiz Felipe Scolari em destaque. Foi sob o comando dele que o Palmeiras eliminou duas vezes o maior rival na Libertadores, em 1999 e em 2000. Apesar do elenco quase completamente mudado - Marcos continua, agora na reserva -, a memória daqueles confrontos históricos ajudam a motivar o time, segundo Felipão.

AE, Agência Estado

30 de abril de 2011 | 14h47

"São momentos distintos, naturalmente, mas a história serve para passar alguns dados que nos estimulem e sirvam de motivação para buscarmos a vitória. Daquela época tem eu, Murtosa, Galeano, Marcos, Pracidelli... Todos nós estávamos naquelas oportunidades e podemos relembrar as emoções das vitórias, das eliminações e dos momentos de dificuldade com o nosso rival. Tudo isso é importante para relembramos alguns detalhes que podem ser trazidos para o presente, embora sejam época e jogadores diferentes", afirmou o treinador.

Diferentemente daqueles quatro jogos históricos com o Morumbi lotado e com as torcidas dividindo as arquibancadas, desta vez o clássico acontece no Pacaembu, com ampla maioria de palmeirenses, por conta do direito adquirido pelo time de ser o mandante desta semifinal. A decisão polêmica de destinar apenas 5% dos ingressos aos corintianos é elogiada por Felipão, que comemora a expectativa de ótimo público.

"É uma força a mais que a torcida vai dar em retribuição ao que foi feito na fase de classificação. Na verdade, fizemos 44 pontos até agora, contra 41 do Corinthians, e por isso fizemos por merecer ter uma torcida maior do nosso lado. Nosso objetivo será retribuir tudo o que a torcida tem feito. Ficamos felizes de os ingressos terem se esgotado e quero a torcida empurrando do começo ao fim."

A mesma torcida que empurra pode também pressionar, criticar e atrapalhar. Por isso, Felipão pede que o torcedor ajude a equipe até o final. "Espero contar com os 30 mil palmeirenses nos apoiando e vibrando. Que o nosso torcedor se faça presente, já que é uma final, uma decisão. Vibrem, participem e joguem junto com o time do primeiro ao último minuto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.