Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Felipão mantém rodízio e projeta mudanças no Palmeiras para a Libertadores

'Já posso adiantar que vou mudar dois ou três jogadores, porque já estamos classificados', explicou o treinador

Redação, Estadão Conteúdo

05 de maio de 2019 | 16h14

O técnico Luiz Felipe Scolari já adiantou que vai continuar o rodízio na equipe do Palmeiras. Após a vitória sobre o Internacional por 1 a 0, no último sábado, o treinador disse que fará alterações em ao menos "duas ou três peças", para encarar o San Lorenzo, pela Copa Libertadores. A partida será na próxima quarta-feira, às 21h30, no Allianz Parque, e marca o encerramento da fase de grupos da Libertadores.

"Já posso adiantar que vou mudar dois ou três jogadores, porque já estamos classificados (na Libertadores), vamos jogar só pelo primeiro lugar do grupo, e tenho que pensar na sequência do Brasileiro", explicou Felipão.

Uma das mudanças certas será no ataque. Autor do gol que garantiu a vitória na última rodada do Brasileirão, Deyverson será poupado. "Eu acredito mais nele (Deyverson) em determinadas situações do que nos outros. Agora, para quarta-feira, provavelmente eu vou colocar um outro centroavante, porque no domingo contra o Atlético-MG a gente tem que ter um cuidado. Depois de uma sequência de jogos, dar uma recuperação. É que para determinados jogos o Deyverson tem um papel muito importante, por isso a gente tem mantido."

Sem poder contar com os lesionados Ricardo Goulart e Willian, o técnico deve optar por Arthur Cabral ou Borja, recuperado do problema no joelho que o afastou dos últimos compromissos do time alviverde, para o setor ofensivo.

O capitão Bruno Henrique reforçou a importância de garantir a primeira colocação do Grupo F. Hoje o Palmeiras soma 12 pontos, enquanto os argentinos estão com 10. "A gente sabe da importância de terminar a Libertadores na primeira colocação, de buscar o máximo de número de pontos possível para no decorrer do campeonato disputar o segundo jogo em casa", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.