Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Felipão minimiza ataque a ônibus: 'Eu não tenho medo de bandido'

Técnico diz ter respeito pelos "verdadeiros torcedores" do Palmeiras e garante: "nenhum jogador estava assustado"

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2019 | 00h38

O técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, disse nesta quarta-feira que o time não sentiu medo por ter o ônibus atacado com pedras e garrafadas na chegada ao Allianz Parque, onde venceu por 3 a 0 o Junior Barranquilla, pela Copa Libertadores. O treinador afirmou que o elenco tratou o episódio com naturalidade e disse que os autores da ação são bandidos e não são torcedores reais do clube.

"Eu não tenho medo de bandido. Ninguém tem. Temos respeito pelo nosso torcedor, pelo nosso clube. Ninguém estava assustado. Tanto é que os jogadores enfrentaram isso com naturalidade. Não vamos dar visibilidade a quem não merece", afirmou o treinador. O clube descobriu que para a saída do time estava organizado um outro ataque, mas a polícia foi avisada e reforçou a segurança.

A maioria dos jogadores deixou o estádio em carros particulares, para chamar menos a atenção. Felipão afirmou que quem jogou pedra no ônibus não é torcedor de verdade. "Eu tenho de agradecer à verdadeira torcida do Palmeiras. Eu e meus jogadores devemos bater palmas a eles. O restante eu não tenho que comentar", comentou o treinador. O time bateu a equipe colombiana com gols de Deyverson, Dudu e Hyoran.

Segundo Felipão, o incidente não merece repercussão. "Não vamos dar visibilidade a quem não merece. É por isso que eles fazem", disse. A polícia prendeu dois torcedores que atiraram pedras no veículo. O ônibus ficou danificado em uma das janelas e na lataria, mas nenhum jogador ou membro da comissão técnica se feriu no ataque.

"Fizemos um jogo equilibrado e estudado, pela forma como a equipe adversária joga. Nosso time se dedicou. Infelizmente o Brasil está em pé de guerra por todos os lados", disse Felipão. Após a vitória, o Palmeiras só volta a campo daqui 15 dias, quando enfrenta o Melgar, no Peru, pela Copa Libertadores.

Confira a nota oficial do Palmeiras sobre o ataque ao ônibus do clube:

Condenamos a covarde agressão sofrida pela delegação da Sociedade Esportiva Palmeiras a caminho do Allianz Parque na noite desta quarta-feira. Esses vândalos não representam a torcida do Palmeiras.

O lamentável ataque ao ônibus da delegação foi denunciado à Polícia Militar para que sejam tomadas as devidas providências com nossa total colaboração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.