Reuters
Reuters

Felipão não renovará contrato com o Evergrande, da China

Seu vínculo com o clube termina dia 30 de novembro, depois de dois anos e meio; ele não quer trabalhar no Brasil

Robson Morelli, Estadão Conteúdo

19 Outubro 2017 | 11h53

Luiz Felipe Scolari encerra seu contrato na China dia 30 de novembro, depois de dois anos e meio no comando do Guangzhou Evergrande. Ele já avisou a diretoria do clube chinês que não vai renovar seu vínculo.  Neste domingo, o Evergrande pode conquistar seu terceiro título da Liga Nacional sob a batuta do brasileiro. Felipão foi para a China em junho de 2015. Se conseguir dar mais uma volta olímpica, chegará a sete conquistas: três ligas nacionais, duas supercopas, uma Copa da China e mais uma Liga da Ásia.

+ Brasileiro Rafael Silva marca e põe Urawa na final da Liga dos Campeões da Ásia

Felipão ainda não tem destino certo. Mas o treinador não voltará ao futebol brasileiro nesse momento. Sua disposição é fechar o ano com a família e tentar se recolocar fora do País. Não está descartada a possibilidade de o treinador assumir alguma seleção para a Copa do Mundo da Rússia. Felipão esteve à frente de Portugal e Brasil recentemente.

Em reunião com representantes do clube chinês, Felipão disse que seu trabalho estava concluído. Ele foi um dos poucos que ficaram até o fim daquela leva de brasileiros seduzidos pelos contratos milionários do futebol chinês. O Evergrande tentará, sob seu comando ainda, o terceiro título consecutivo da liga. Seu time tem seis pontos de vantagem para o Shanghai, do técnico português André Villas-Boas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.