Felipão nega 'corpo mole' e defende goleiro Deola

Pressionado pela torcida, o técnico Luiz Felipe Scolari negou neste domingo que o Palmeiras tenha "entregado" o jogo para o líder Fluminense, em uma tentativa de prejudicar o arquirrival Corinthians, um dos candidatos ao título do Brasileirão. "As pessoas que viram o contrário enxergaram chifre em cabeça de cavalo", afirmou.

ANDRÉ RIGUE, Agência Estado

28 de novembro de 2010 | 20h56

"Somos profissionais e nossa equipe tem a cor verde", declarou o treinador. "Os torcedores que estiveram aqui e pediram a derrota não são os verdadeiros palmeirenses. Fiquei totalmente satisfeito com o comportamento da equipe. Se dirigentes ou outros torcedores quiserem dar suas opiniões, tudo bem. Eles só não podem exigir uma derrota", ponderou.

Felipão defendeu o goleiro Deola, duramente vaiado pela torcida por fazer belas defesas e impedir os gols do Fluminense. "Ele saiu de campo com uma grande personalidade. Essa coisa de entregar é pura bobagem. Jamais iríamos fazer uma sacanagem. Quem atua de uma forma errada vai errar muito mais na frente. O conceito do Deola cresceu comigo".

Outro jogador que Felipão defendeu foi o atacante Kléber, que não deu nenhum chute ao gol durante os 90 minutos de jogo. "A participação dele foi boa e normal. Eu pedi para ele ficar mais fora da grande área, justamente para que o Dinei fizesse essa função. Já falei diversas vezes, aqui não teve essa história de entregar", reforçou o técnico, ainda abatido pela eliminação na semifinal da Copa Sul-Americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.