Felipão nega que deixará Palmeiras antes do fim do ano

No Palmeiras desde julho de 2010, o técnico Luiz Felipe Scolari vive um dos piores momentos desde que voltou ao clube. Na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 20 pontos, cinco a menos do que o Coritiba, melhor time fora da zona do rebaixamento, o treinador deixa claro que apesar da situação complicada na tabela, ele não pensa em deixar o clube.

DANIEL BATISTA, Agência Estado

10 de setembro de 2012 | 11h01

"Estou trabalhando com a equipe neste estado. Vocês podem notar que os técnicos pediram demissão em outros sentidos e foram indenizados com R$ 2, 3, 4 milhões. E eu, quando pensei em pedir demissão, não quis valor financeiro. Não é agora que eu vou sair. Se fomos campeões juntos, vou ficar junto também se formos rebaixados", avisou o treinador.

Desde sua volta ao Palmeiras, Felipão pediu demissão três vezes, mas o presidente Arnaldo Tirone não aceitou. A última, foi durante o Paulistão. "Dessa vez não pensei em pedir para sair. Mas, antes, sim. Quando o Palmeiras estava no Paulistão e também um pouco antes da Copa do Brasil eu conversei com eles e pedi para sair. Mas agora não. Não vou fazer absolutamente nada", avisou o treinador, que tem contrato com o Palmeiras até o fim do ano.

O Palmeiras se reapresenta nesta segunda-feira, às 15h, e já inicia os preparativos para o jogo contra o Vasco, quarta-feira, às 22 horas, no Rio de Janeiro, pela 24.ª rodada do Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasLuiz Felipe Scolari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.