Mowa Press/Divulgação
Mowa Press/Divulgação

Felipão pede calendário equilibrado em 2014 e defende diálogo com jogadores

Técnico evita críticas à CBF, mas reconhece legitimidade das reivindicações de atletas

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2013 | 14h13

RIO - O técnico Luiz Felipe Scolari não escapou de comentar, no início da tarde desta quinta-feira, em entrevista coletiva no Rio, o movimento que uma comissão formada por 75 jogadores do futebol brasileiro tornou pública nesta semana para cobrar da CBF melhorias no seu calendário. A entidade provocou insatisfação na semana passada ao divulgar o seu cronograma de competições para 2014, prevendo o início dos campeonatos estaduais já para 12 de janeiro, por causa da paralisação que a Copa do Mundo irá propiciar no meio do ano.

Ao falar sobre o assunto, Felipão evitou criticar a CBF, mas reconheceu que os atletas têm o direito de lutar por melhorias no calendário e defendeu um amplo diálogo entre todas as partes envolvidas para a melhor definição das datas de todos os torneios disputados no Brasil nas próximas temporadas.

"É um posicionamento normal (o dos jogadores). Tem que haver um debate tranquilo de todas as partes envolvidas. Todos devem sentar numa mesa e conversar como montar um calendário. Todas as partes, não apenas a política, econômica, técnica, no intuito de como montar o calendário, para que a partir daí se chegue a um calendário equilibrado. Volto a falar: importante haver todas as partes equilibradas, sentadas na mesma mesa", disse o treinador, lembrando que 2014 será um ano cujo desafio da CBF será ainda maior, por se tratar de um ano de Copa do Mundo no País.

"Neste momento tem algumas variantes que devem ser analisadas, pois estamos chegando em ano de Copa, para que em 2015 tenhamos uma situação que seja bem equilibrada para todos", enfatizou Felipão, para em seguida destacar que no exterior os jogadores também enfrentam as consequências de calendários apertados e desgastantes.

"O Julio Cesar se machucou e o Thiago Silva vai ficar fora por seis semanas. Não é só o futebol brasileiro que sofre com lesões. A temporada na Europa mal começou e já tem jogadores lesionados. O calendário daqui não é tão diferente do de fora. Não é uma situação tão desequilibrada como as pessoas imaginam", completou.

Por meio de uma nota oficial, distribuída na última terça-feira, os 75 jogadores assinaram um manifesto propondo mudanças no calendário da CBF em 2014. Entre eles estão o goleiro Jefferson, o zagueiro Dedé e o atacante Alexandre Pato, convocados nesta quinta por Felipão para os amistosos diante de Coreia do Sul e Zâmbia, no próximo mês.

Os atletas reivindicam uma reunião com a entidade na tentativa de alterar um calendário que prevê cinco dias de pré-temporada em 2014 se for cumprida a lei trabalhista que determina 30 dias de férias. A diminuição no número de datas do calendário e a adoção de um número máximo de partidas por mês são outros pontos que os jogadores defendem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.