Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Felipão pede cuidado com Goiás, mas promete atacar no Serra Dourada

Treinador destaca necessidade de marcar gols em Goiânia para obter vantagem no regulamento da Copa Sul-Americana; marcação da bola aérea preocupa

ANDRÉ RIGUE – estadão.com.br

15 de novembro de 2010 | 18h55

SÃO PAULO - O Palmeiras pega o Goiás nesta quarta-feira no primeiro confronto das semifinais da Copa Sul-Americana. O técnico Luiz Felipe Scolari cobrou empenho dos jogadores e alertou para os perigos da bola aérea da equipe goiana. De acordo com o treinador, será fundamental conseguir marcar gol como visitante.

 

Veja também:

BATE-PRONTO - forum Felipão: 'Dava pênalti para o Corinthians e para o Cruzeiro'

"Temos de jogar com paciência e inteligência, pois faz parte do jogo", alerta Felipão. "Devemos saber que, se tivermos de jogar para ganhar ou empatar, o 0 a 0 não serve. Se fizermos gols fora de casa, nossas chances de chegar à decisão aumentam. Então, também temos de sair para o jogo", promete.

Para enfrentar o Goiás no Serra Dourada, o Palmeiras não terá o meia Valdívia, que está em recuperação de uma lesão na coxa esquerda. O chileno também não atuará no jogo de volta, no dia 24, no Pacaembu. Lincoln será o titular no meio-campo ao lado de Tinga, Marcos Assunção e Edinho.

"O Lincoln vem trabalhando bem", explica Felipão. "Ele é um jogador que tem se dedicado bastante, e está 90% recuperado fisicamente. Falta ainda um pouco de ritmo de jogo. Mas não tenho muito que esconder. Provavelmente iniciarei a partida no Serra Dourada com a equipe base."

Apesar de ter escalado um time quase que reserva contra o Atlético-GO no domingo pelo Brasileirão, Felipão mostrou o vídeo dos gols sofridos para todos os jogadores. O motivo: corrigir o posicionamento da defesa. "A bola parada é uma das minhas preocupações. E o Goiás também tem muita qualidade na bola aérea."

O Goiás está praticamente rebaixado no Brasileirão, mas faz campanha surpreendente na Sul-Americana. No último domingo, empatou com o Fluminense no Engenhão pelo Nacional. Apesar do contraste, a diretoria goiana espera um bom público para o confronto desta quarta-feira e já comercializa os ingressos.

"Eu sou franco", declara Felipão. "O Goiás deve ter só 3% de chances de escapar do rebaixamento no Brasileirão. Então, se eu estivesse do lado deles, concentraria tudo para obter uma classificação na Sul-Americana. Espero as mesmas dificuldades da partida contra o Atlético-MG."

Vaga como vice? O Palmeiras consultou a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) para saber se o clube levaria uma vaga para a Libertadores como vice-campeão numa eventual decisão contra a LDU, uma vez que o rival praticamente garantiu sua vaga por liderar o Equatoriano. Porém, outro clube do Equador seria favorecido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.