Rafael Ribeiro/Estadão
Rafael Ribeiro/Estadão

Felipão pede para atletas deixarem salários em 2º plano

Treinador alerta que jogadores precisam estar em clubes 'em que possam jogar'

JAMIL CHADE, Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 13h41

BASILEIA - O técnico Luiz Felipe Scolari alerta aos jogadores brasileiros: chegou o momento de dar prioridade à seleção, e não ao salário em clubes, se quiserem estar na Copa do Mundo de 2014. Em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira na Basileia, onde a seleção enfrenta nesta quarta a Suíça em amistoso, Felipão apontou que, com apenas nove meses para o Mundial e até oito amistosos pela frente a serem disputados até lá, jogadores terão de optar por estar em equipes que possam jogar.

"Com pouco tempo pela frente e poucos jogos, parte do processo será o de observar os nossos jogadores em seus clubes", disse Felipão. "Mas se eles não jogam, não há como observar. Não dá para observar do banco", declarou.

Dois casos preocupam Felipão: o de seu goleiro titular, Julio Cesar, e de Luiz Gustavo, volante que também é titular hoje do time nacional. Ambos estão sendo preteridos em seus clubes e negociam sair para outros times onde possam jogar. O treinador deixou claro que eles precisam optar por equipes que os deem espaço.

"Pode ser segunda, terceira ou décima divisão", disse Scolari. "O importante agora é jogar", insistiu o treinador, contando que falou tanto com o goleiro quanto com o volante sobre a situação que enfrentam.

"Os jogadores vão ter de pensar na seleção e não só na parte monetária e do clube, embora tenham que pensar muito nisso", declarou. O treinador lembrou da situação de Dida em 2001, quando era reserva do Milan. Uma conversa foi realizada com a direção do time italiano, que aceitou o liberar para defender o Corinthians.

COPA DAS CONFEDERAÇÕES

Scolari ainda deixou claro que a ordem da comissão técnico da seleção agora é a de esquecer a conquista da Copa das Confederações, justamente para apagar os erros dos Mundiais passados. "Acabou, encerrou. Muito bem, jogaram bem. Mas acabou a Copa das Confederações", disse. "Temos um longo caminho pela frente", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.