Daniel Teixeira/ Estadão
Daniel Teixeira/ Estadão

Felipão perde a paciência com Deyverson e avisa: 'Vou tomar uma atitude'

Técnico do Palmeiras condenou provocações do jogador aos adversários e pediu para os jornalistas pararem de entrevistá-lo

João Prata, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2018 | 22h26

Após o apito final do árbitro e a confirmação da vitória do Palmeiras por 3 a 2 sobre o Santos, o atacante Deyverson foi dançar na frente dos adversários e gerou um princípio de confusão. O técnico Luiz Felipe Scolari disse em entrevista coletiva neste sábado que a paciência com o jogador chegou ao fim.

"Peço desculpas. Mas o Deyverson... Ele próprio já disse para vocês (jornalistas) que tem uma chavinha que não funciona. Para vocês é ótimo, que acaba o jogo e vai lá colocar o microfone nele. Para mim é um inferno todo final de jogo ter que ficar resolvendo essas coisas", disse o treinador.

Depois que ele fez a dancinha, jogadores do Santos partiram para cima e alguns atletas do Palmeiras tiveram que intervir para evitar a briga. Deyverson foi levado para o vestiário e só então a confusão acabou. Felipão disse que ainda não sabe que atitude tomará com o centroavante.

"Não sei. Ou vou começar a cobrar multa, ou vou proibir todos os jogadores de falar por causa de um", comentou. E ainda chegou a pedir para a imprensa não entrevistar mais o jogador. "Se vocês (jornalistas) puderem ajudar, tudo bem, se não vou tomar uma atitude."

Para Felipão, está na hora de Deyverson demonstrar um pouco mais de maturidade. O jogador chegou ao Palmeiras no ano passado e tem colecionado uma série de polêmicas. Contra o Bahia, na Copa do Brasil, foi expulso por dar uma cotovelada em um adversário. Contra o Cerro Porteño, na Libertadores, levou o vermelho por simulação.  No clássico com o Corinthians, ele fez de tudo: marcou o gol da vitória, tentou cavar pênalti, chorou no banco de reservas e provocou os jogadores adversários. 

"Os jogadores dos outros times já estão querendo provocar o Deyverson, é muito claro isso. E ele não se dá conta que é quem vai ser o prejudicado. Vou ter que tomar atitude. Acabou o assunto", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.