JF Diorio / Estadão
JF Diorio / Estadão

Felipão projeta definição do título brasileiro para as últimas três rodadas

Treinador agora começa a pensar no duelo com o Boca Juniors, pela Copa Libertadores

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2018 | 05h07

O técnico Luiz Felipe Scolari sabe que o Palmeiras deu um passo importante em busca do título do Campeonato Brasileiro, ao empatar fora de casa por 1 a 1 com o Flamengo e manter a vantagem de quatro pontos na liderança da competição, mas acredita que a briga pela liderança estará embolada até as últimas rodadas.

"O título provavelmente será definido nas últimas três rodadas", confessou o treinador, que já disse diversas vezes que quer terminar a temporada com ao menos uma conquista. Além do Brasileirão, o Palmeiras ainda está vivo na Copa Libertadores, mas precisará reverter a vantagem de 2 a 0 do Boca Juniors na quarta-feira.

 

"Vamos ver se a gente consegue brigar por um título. É muito bom ter um bom trabalho, mas principalmente no Brasil bom trabalho é titulo. E nós não estamos conseguindo o título, porque perdemos a Copa do Brasil, podemos perder a Libertadores, então estamos brigando também pelo Brasileiro, porque essa equipe fez por merecer essa oportunidade. Vamos ver como faremos. E aí podemos dizer que estará coroado o trabalho no fim do ano", comentou.

O comandante confessa que o time está sentindo o cansaço da maratona de jogos e por isso o empate no Rio foi importante. "Ficamos felizes com o resultado. O Flamengo nesse tempo fez uns quatro ou cinco jogos a menos do que nós. É uma equipe altamente qualificada. Temos de valorizar esse ponto que conseguimos, porque acho que poderemos levar essa condição para daqui três ou quatro rodadas, quando será definido o Brasileiro", afirmou.

Após o retorno a São Paulo, o treinador começa a pensar no duelo importante pela Libertadores contra o Boca. "Vamos ver, juntar os cacos e tentar reverter com apoio do nosso torcedor. Será mais um momento de entrega da nossa equipe", explicou Felipão, ciente de que o Palmeiras precisa vencer por três gols de diferença para avançar sem disputa de pênaltis.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.