Felipão se rende à melhor fase de Fernandinho

Ao lado de Parreira, técnico acompanhou de perto a movimentação do volante, que deve ser titular contra o Chile

Robson Morelli - Enviado especial a Teresópolis, O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2014 | 05h00

Felipão vai confirmar nesta quinta-feira o volante Fernandinho no time que enfrenta o Chile em Belo Horizonte, sábado, pelas oitavas de final da Copa. O jogo poderá ter 120 minutos, já que, a partir de agora, empates levarão as decisões primeiramente para a prorrogação e, depois, para as penalidades.

Fernandinho tira o posto de Paulinho, que fez as três partidas do Brasil na fase de grupos sem encantar. Felipão optará por um volante em melhor momento, como fez em 2002 em relação a Kléberson, que entrou no lugar de Juninho Paulista. Parreira o apoia na escolha. O coordenador técnico tomou a mesma decisão na Copa de 1994, quando sacou Raí e escalou Mazinho. O jogador do Tottenham sabe que não está bem na competição.

Substituir Paulinho no intervalo da partida contra Camarões foi um indício do descontentamento de Felipão. Ele precisa acertar a marcação no meio de campo do Brasil, aliviar o trabalho de Luiz Gustavo (pendurado com um amarelo) e propiciar melhor cobertura na direita, nas costas de Daniel Alves.

Paulinho já havia sido substituído por Hernanes na estreia contra a Croácia. Hernanes, contudo, perdeu a chance de roubar a vaga do colega. Fernandinho, não. O jogador atuou com personalidade no Mané Garrincha, deu passes para gol e ainda fez o seu, além de combinar melhor com Luiz Gustavo, que se esquivou de qualquer comparação entre ambos. "Para mim não muda nada se joga Paulinho ou Fernandinho. Tenho de fazer o meu trabalho da mesma forma, e seguir minhas características. Estou ciente do que tenho de fazer para ajudar o Brasil. Felipão deixou claro que tenho de dar liberdade para o segundo volante. Não vou mudar isso, senão vai sobrar para mim."

Fernandinho treinou ao lado de Paulinho na tarde de ontem na Granja Comary. Somente os reservas trabalharam com bola. Ambos jogaram 45 minutos contra Camarões e, por isso, não se juntaram aos titulares, que se exercitaram na academia.

A decisão já está tomada por Felipão, a não ser que ele repense alguma situação de jogo em função das informações que recebeu ontem dos 'espiões' Roque Júnior e Alexandre Gallo, que estiveram em Teresópolis com o treinador. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.