Felipão vira consultor voluntário do Ministério do Esporte

O técnico campeão mundial com a seleção brasileira em 2002, Luiz Felipe Scolari, aceitou nesta terça-feira convite para tornar-se consultor informal e voluntário para futebol e para o programa 2o Tempo, do Ministério do Esporte.

Reuters

25 de setembro de 2012 | 17h55

O convite foi feito pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a Felipão, ex-comandante do Palmeiras, que disse que conciliará suas atividades como consultor às de treinador.

"(Vou conciliar porque) provavelmente vou trabalhar numa equipe", disse ele a jornalistas após o anúncio. Felipão afirmou que o próximo clube poderá ser "no Brasil ou em qualquer lugar do mundo", mas que pretende ficar em São Paulo até o final deste ano.

Ele servirá de consultor do programa 2o Tempo, que esteve envolvido em denúncias de irregularidades que resultaram na queda do ex-ministro do Esporte Orlando Silva, em outubro de 2011.

O objetivo do ministério com a colaboração do treinador é a valorização e a promoção do futebol.

Felipão, que dirigiu o Palmeiras campeão da Copa do Brasil neste ano, foi demitido do clube há dez dias. A equipe paulista está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, na 18a posição.

"Acho que era o momento certo pra que eu saísse do Palmeiras e alguém com a capacidade e com a possibilidade de um crescimento profissional assumisse", disse ele, que foi substituído por Gilson Kleina.

SELEÇÃO

Perguntado sobre a possibilidade de voltar à seleção, substituindo o atual técnico Mano Menezes, Felipão desconversou.

"Isso não é um assunto que eu quero comentar, não vou comentar", disse ele. "Os responsáveis pela seleção brasileira é que devem comentar."

As recentes atuações da seleção têm sido alvo de vaias. No último torneio que disputou, a Olimpíada de Londres, o Brasil foi derrotado na final pelo México, perdendo a chance de conquistar a inédita medalha de ouro olímpica.

No jogo contra a Argentina, em Goiânia, na semana passada, os torcedores chegaram a pedir a volta de Felipão à equipe brasileira.

"(Você) se lembra de 2002, 2001? Eu era vaiado não nos estádios, mas nas ruas. Isso é normal na vida de um treinador", disse Felipão, que conquistou o quinto título mundial da seleção na Copa de 2002, um ano depois de a equipe ser eliminada nas quartas de final da Copa América contra Honduras.

(Reportagem de Hugo Bachega)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTFELIPAOASSESSOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.