Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Felipe dá a volta por cima e se torna homem de confiança de Tite

Zagueiro sempre foi muito questionado pela torcida corintiana

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

14 Março 2015 | 07h05

O zagueiro Felipe venceu a desconfiança interna no Corinthians para se tornar titular absoluto da defesa menos vazada do Campeonato Paulista. Em oito jogos, o time alvinegro sofreu apenas dois gols. A equipe não é vazada há 450 minutos. E essa invencibilidade voltará a ser colocada à prova neste sábado, quando o time terá pela frente o Red Bull Brasil, às 16 horas, no Itaquerão, pela décima rodada do Estadual.

Como Felipe não era considerado um zagueiro pronto para disputar a Copa Libertadores, a diretoria foi atrás de Edu Dracena após a saída de Anderson Martins em janeiro. O então presidente Mário Gobbi chegou a afirmar que o ex-santista seria o "xerife" da equipe na Libertadores. Mas após bom aproveitamento nos amistosos da pré-temporada e atuações seguras ao lado de Gil nos primeiros jogos do Paulista e da Libertadores, Felipe se firmou entre os titulares e deixou Dracena no banco.

"Estou no clube há três anos, tive aquela oportunidade no início e não fui tão bem. Procurei trabalhar da mesma forma, o Tite falou isso para mim. É o que venho fazendo, não é nada de diferente. Teve a desconfiança porque aconteceram coisas que eu não queria, mas sigo trabalhando", disse Felipe.

O zagueiro fará neste sábado o seu décimo jogo na temporada. Felipe jogou 90 minutos diante do São Bernardo, quarta-feira, e também deverá estar em campo na terça-feira, quando o Corinthians enfrenta o Danubio, no Uruguai, pela Libertadores. "Estou bem. Faço os exames, testes, e estou à disposição. A hora que o Tite precisar, estou à disposição", disse.

Tite vai escalar diante do Red Bull Brasil o time titular. Renato Augusto, em fase final de recuperação de uma lesão no tornozelo esquerdo, será substituído pelo volante Cristian. O meia está sendo preparado para retornar à equipe diante do Danubio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.