Celso Junior/AE
Celso Junior/AE

Felipe e a trave garantem 0 a 0 ao Corinthians com Goiás

Com a defesa reserva, time paulista sofre para empatar sem gols em Goiânia e fica na oitava posição

Tercio David, estadao.com.br

14 de junho de 2009 | 18h00

Se o jogo contra o Goiás era considerado pelos jogadores do Corinthians um bom teste para a final da Copa do Brasil, a partida do Serra Dourada também serviu de teste para o coração do torcedor da equipe paulista. O 0 a 0 do placar não fez justiça às investidas do time alviverde, nesta sexta rodada do Campeonato Brasileiro, tanto que o destaque do jogo foi o goleiro Felipe.

Veja também:

link'Temos de festejar o empate', admite Mano Menezes

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com o empate, o Corinthians chegou a oito pontos e perdeu a chance de entrar, mesmo que provisoriamente, na zona de classificação para a Libertadores.

Já o Goiás, segue sem vencer em casa neste campeonato e soma sete pontos, se mantendo na metade de baixo da tabela.

Na próxima quarta-feira, o Corinthians encara o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, diante do Inter, no Pacaembu. Pelo Brasileirão, o time encara o clássico contra o São Paulo, no domingo, novamente no Pacaembu. Na véspera, o Goiás pega o Grêmio, no Estádio Olímpico.

TRAVES

O Goiás só não marcou um golzinho, ainda no primeiro tempo, graças às traves do Serra Dourada. Aos 33, após cobrança de escanteio, Ernando cabeceou livre na área. A bola bateu no travessão, na trave esquerda, sobre a linha e não entrou, também graças a Wellington Saci, que afastou na sequência.

 GOIÁS 0
Harlei, Ernando    , Leandro Euzébio    , Rafael Tolói     e Júlio César; Vitor, Fábio Bahia (Everton), Amaral e Felipe Menezes (Rafinha); Iarley e Felipe    .
Técnico: Hélio dos Anjos.
 CORINTHIANS0
Felipe; Renato, Diego e Jean    ; Diogo, Cristian    , Elias, Douglas     e Wellington Saci (Boquita    ); Dentinho     (Marcelo Oliveira) e Ronaldo.
Técnico: Mano Menezes.
Árbitro: Wagner Tardelli (SC)

Renda: R$ 407.895,00

Público: 16.337 pagantes

Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO)

A segunda bola na trave aconteceu três minutos depois, após uma boa jogada pela direita de Felipe - este um dos destaques do Goiás. Ele cruzou rasteiro na área para Iarley, que fez o giro e bateu no canto, acertando a trave direita do goleiro Felipe.

Se o principal destaque do Goiás foi o atacante Felipe, o do Corinthians responde pelo mesmo nome. O goleiro corintiano fez pelo menos cinco grandes defesas - a maior parte delas no segundo tempo - e garantiu o 0 do placar, do lado alvinegro.

REMENDO

Jogando com toda a zaga reserva, o Corinthians passou por maus momentos no jogo deste domingo. No entanto, o goleiro Felipe tratou de não criar polêmica.

"É normal o pessoal se perder um pouco. Nem dá para ficar muito bravo, afinal, é complicado mesmo quando não se tem uma sequência", comentou o goleiro Felipe, entrevista à Rede Globo, ainda no intervalo.

Quem parece não ter agradado mesmo o técnico Mano Menezes foi o lateral-esquerdo Wellington Saci. No lance mais agudo, ele perdeu uma bola boba no campo de defesa do Corinthians e possibilitou uma grande chance de gol para o Goiás, que só não foi convertida porque o atacante Felipe preferiu cavar um pênalti, a marcar. O árbitro Wagner Tardelli deu cartão ao jogador do Goiás por simulação. O corintiano foi substituído ainda no intervalo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.