Felipe espera pelo efeito suspensivo

Um dia depois de ser suspenso pela justiça desportiva por seis meses, o meia-atacante Felipe viajou com a delegação do Fluminense para Bento Gonçalves (RS), onde o Tricolor enfrenta nesta quarta-feira à noite o Esportivo, pela Copa do Brasil. A expectativa da diretoria do clube era conseguir com a Presidência do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) um efeito suspensivo da punição aplicada a Felipe na noite de terça-feira. Mas, não reuniu a tempo os documentos e adiou a medida possivelmente para esta quinta-feira.O recurso contra a decisão da 2.ª Comissão Disciplinar do STJD também não foi apresentado ao tribunal pelo Fluminense. O clube tem prazo até sexta-feira para contestar na esfera esportiva o resultado do julgamento. De acordo com advogados que militam no STJD defendendo clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro, o Fluminense errou ao contratar o criminalista Clóvis Sahione para representá-lo no ?caso? Felipe. Segundo comentários de alguns magistrados na terça-feira no plenário do STJD, o Tricolor teria pago R$ 150 mil a Sahione.Por várias vezes, durante a sessão, o criminalista demonstrou desconhecimento do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e foi corrigido pelo presidente da 2.ª Comissão, Antonio Augusto Toledo Gaspar. A punição de Felipe deveu-se a uma agressão ao atleta Marcus Mendes, do Campinense-PB, em 2 de março, no confronto com o Tricolor, pela Copa do Brasil. Felipe desferiu um soco no rosto do adversário, no Maracanã, e sua atitude foi considerada como "covarde" pelos auditores do STJD. O árbitro do jogo, Rodrigo Cintra, não presenciou o fato e a denúncia ocorreu a partir de imagens da TV.Dos quatro auditores da 2.ª comissão, três votaram pela condenação de 180 dias. Já Antonio Gaspar optou por uma pena mais rigorosa, de 220 dias. Prevaleceu a opinião da maioria.O técnico Abel Braga, uma das testemunhas de defesa, comentou nesta quarta-feira em Bento Gonçalves que Felipe estava reagindo bem à punição e que os demais jogadores do Fluminense não escondiam a alegria com a iniciativa do próprio atleta de viajar para o sul do País, a fim de acompanhar o time na partida com o Esportivo. "É vida que segue. Vamos tentar mais força para superar os obstáculos sem o Felipe", declarou Abel, numa clara manifestação de que não acredita na nulidade ou mesmo na diminuição da pena. Para o meia Marcão, outro que depôs a favor de Felipe, o colega "amadureceu bastante com o que vem acontecendo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.