JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Felipe Melo afirma que foi chamado de 'macaco' por uruguaio

Gaston Rodríguez entrou no segundo tempo e teria ofendido o volante

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2017 | 00h11

O volante Felipe Melo afirmou que foi chamado de "macaco" pelos jogadores do Peñarol na vitória do Palmeiras por 3 a 2, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque. "O cara que entrou (no segundo tempo) e fez o (segundo) gol deles estava me chamando de macaco durante muito tempo. Macaco pra lá, macaco pra cá. Sou preto mesmo. Ele deve ter algum problema. A mulher dele já deve ter traído ele com algum negão. Não sei o nome dele. Mas é um moreno escuro. Na época da escravidão, teria tomado chibatada igual a mim – afirmou o palmeirense", disparou.

O jogador é Gaston Rodríguez, que substituiu Novick e anotou o segundo gol da equipe uruguaia. Melo, no entanto, afirmou que o uruguaio pediu desculpas e que não vai apresentar uma denúncia. "Se fosse o Felipe de algum tempo atrás, já teria virado um socão. Mas Deus tem me regerado, tenho controlado muito mais meu ânimo", comparou.

Minutos depois, Felipe Melo relatou um encontro nos vestiários com Gaston Rodríguez e afirmou que o uruguaio pediu desculpas. "Para que vou levar um negócio adiante se o cara já pediu desculpas? Acabou o assunto", disse. 

O gol da vitória foi do lateral Fabiano, que já havia sido o autor do gol do título brasileiro. "Tivemos chances de ampliar, mas a gente não desistiu. Em alguns jogos, não dá na técnica. Tem de ser na raça", disse o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.