Daniel Teixeira / Estadão Conteúdo
Daniel Teixeira / Estadão Conteúdo

Felipe Melo critica árbitro e Rony comemora estreia pelo Palmeiras em clássico

Volante alviverde não gostou do cartão amarelo que recebeu no clássico com o Santos

Redação, Estadão Conteúdo

29 de fevereiro de 2020 | 19h14

Um dos líderes do Palmeiras, o zagueiro Felipe Melo criticou a atuação do árbitro Flávio Rodrigues de Souza ao fim do empate sem gols com o Santos, neste sábado, no Pacaembu, pela oitava rodada do Paulistão. O jogador, que vem jogando na defesa nesta temporada, também fez elogios ao mesmo juiz.

"O árbitro é passível de erro, não estou aqui para criticar ninguém. Mas hoje ele me minou com um cartão amarelo que não existe, né? Eu vou ver se arrumo um passaporte para bater, porque tem certos jogadores que estão dando voadora e estão levando cartãozinho amarelo. Estão fazendo vista grossa, né? Mas é passível de erro, para mim é um dos melhores árbitros que tem no Brasil", comentou Felipe Melo.

Antes da crítica e do elogio, o agora zagueiro palmeirense chegou a questionar o repórter do Premiere sobre o lance do gol anulado de Rony, no segundo tempo. "Foi gol ou não? Estava impedido?", questionou Felipe Melo, que cumprirá suspensão na próxima rodada por levar o terceiro amarelo diante do Santos. No lance questionado, o atacante do Palmeiras estava em posição irregular.

O próprio Rony, estreante do dia pelo Palmeirtas, comentou sua primeira partida e lance polêmico em que o auxiliar anotou impedimento inexistente. Na sequência daquela jogada, Pará acertou a mão na bola dentro da área, em pênalti que não foi marcado contra o Santos.

"Estou muito feliz pela estreia. Infelizmente, na hora do pênalti fiquei sabendo que não estava impedido. Uma infelicidade do juiz, mas acredito que ele vai refletir. Mas a gente paga um preço. Estou feliz pela estreia", comentou o atacante, que entrou em campo após o intervalo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.