Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Felipe Melo defende Deyverson no Palmeiras: 'Ele luta muito'

Expulso no empate contra o Bahia, atacante deixa o campo chorando e recebe consolo de volante

O Estado de S. Paulo

02 Agosto 2018 | 21h36

O volante Felipe Melo, do Palmeiras, saiu nesta quinta-feira em defesa do colega de time, o atacante Deyverson. Depois do empate sem gols com o Bahia, na Fonte Nova, pela Copa do Brasil, o experiente jogador consolou o colega, que deixou o campo chorando por ter sido expulso no segundo tempo por ter acertado uma cotovelada no lateral-esquerdo Mena.

+ TEMPO REAL: Os lances de Bahia x Palmeiras

+ Tabela da Copa do Brasil

"Temos que dar moral para o Deyverson. Principalmente para os entendedores de futebol, quem fala sempre disso e critica o Deyverson, ele é um cara que luta muito. Ele não vai driblar cinco jogadores e fazer o gol, mas vai se esforçar muito", disse Felipe Melo para o SporTV depois da partida. Os dois times voltam a se enfrentar pelas quartas de final da Copa do Brasil daqui duas semanas, no Allianz Parque.

Deyverson foi a novidade no time titular armado pelo auxiliar técnico Paulo Turra. O atacante ainda não marcou gols em partidas oficiais nesta temporada e tem sido muito criticado pela torcida. Após o cartão vermelho, o jogador deixou o campo chorando e foi consolado por Felipe Melo. "É hora de dar as mãos para ele. Sempre tem mais pessoas que querem te jogar para o buraco do que te reerguer", disse o volante.

Felipe Melo afirmou que o placar de 0 a 0 pode ser considerado uma vitória, pois o time ficou com um a menos em campo nos minutos finais, mas pediu para a situação não pesar sobre Deyverson. "Ele trabalha muito, quer vencer e está vivendo um momento difícil. Nós somos uma família aqui no Palmeiras", comentou o jogador.

O Palmeiras volta a campo no domingo, em Belo Horizonte, contra o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro. A partida marca a estreia do técnico Luiz Felipe Scolari, que se apresenta ao clube nesta sexta-feira, com contrato válido até o fim de 2020.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.