Felipe Melo diz que aceitou reduzir salário no Flamengo

Clube da Gávea, no entanto, não se interessa pelo volante

Estadão Conteúdo

15 de julho de 2015 | 10h17

Após o fim das negociações para voltar ao futebol brasileiro e retornar ao Flamengo, o volante Felipe Melo divulgou uma nota oficial em que comentou as conversações com o clube carioca e também com o Cruzeiro, que estava interessado na sua contratação. O jogador criticou os que o chamam de "mercenário", afirmando que aceitaria receber metade do seu atual salário no Galatasaray, que é de quase R$ 1,5 milhão livre de impostos, para defender a equioe em que iniciou a sua carreira. "Tudo que não quero, é ficar rotulado como mercenário pela torcida do Flamengo", escreveu.

"Passei ao Flamengo que abriria mão de metade do meu salário atual para voltar ao Brasil. Com descontos, recebo, dando retorno ao clube que defendo, quase R$ 1.5 milhão mensais. Quem abre mão da metade de um salário desses não pode ser visto de nenhuma forma diferente de quem realmente quis retornar por amor ao clube, já que tenho contrato, repetindo, por mais uma temporada", afirmou Felipe Melo em texto publicado em redes sociais.

O volante destacou que o seu desejo era mesmo de voltar a jogar no futebol brasileiro. "O que aconteceu foi, sim, uma vontade muito grande de retornar ao Brasil, depois de quase uma década jogando na Europa. O Flamengo, pela identificação com o clube, por ter começado a carreira lá, por ter feito aos 17 anos o gol que salvou o time do rebaixamento, por ter conquistado títulos, por me assumir, desde sempre, rubro-negro e pelo meu futebol, claro, me abriu as portas", comentou.

Felipe Melo também garantiu compreender as restrições financeiras que impedem o Flamengo de contratá-lo nesse momento. "Entendo e respeito todo o carinho e o sentimento do torcedor e da diretoria do Fla, que está trabalhando com os pés no chão, dentro da realidade do clube, mudando a maneira de se administrar futebol no Brasil e não poupou esforços para poder me receber de braços abertos, mas a diferença no acordo impossibilitou, pelo menos dessa vez."

O volante declarou que não chegou a negociar diretamente a sua transferência para o Cruzeiro, mas que o seu empresário conversou com dirigentes do clube mineiro, pelo qual Felipe Melo atuou em 2003. "Sobre o Cruzeiro, outro clube que tenho identificação, onde conquistei a tríplice coroa, no ano mais azul da história do clube, não fui procurado diretamente. Meu agente me passou que houve uma proposta oficial e, até ontem, quando falei com ele pela última vez, estavam conversando."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoFelipe MeloCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.