Jorge Saenz/AP
Jorge Saenz/AP

Felipe Melo explica gesto obsceno: 'Torcedor me chamou de macaco'

Volante do Palmeiras diz ter sido insultado antes de partida contra o Cerro Porteño, no Paraguai, pela Libertadores

O Estado de S. Paulo

10 Agosto 2018 | 00h11

O volante Felipe Melo, do Palmeiras, explicou nesta quinta-feira o motivo de ter feito gesto obsceno para a torcida do Cerro Porteño antes da partida entre as equipes, vencida pelo clube alviverde por 2 a 0, pela Copa Libertadores. O jogador explicou que teve essa atitude em resposta a um torcedor paraguaiou que lhe insultou de forma racista.

"Reagi contra um torcedor que me chamou de macaco", disse Felipe Melo à Fox Sports da Argentina. O gesto, apontando os órgãos genitais, se deu antes do começo da partida, quando o time subiu a campo para o reconhecimento do gramado em Assunção. O jogo de volta entre as equipes será no dia 30 de agosto, no Allianz Parque.

Felipe Melo também comentou que a experiência do novo treinador, Luiz Felipe Scolari ajudou a equipe a ter a atuação segura e conseguir abrir vantagem nas oitavas de final da competição. "A experiência de um treinador campeão do mundo ajuda muito, pela experiência de vida, pela bagagem internacional", disse em entrevista ao SporTV.

O volante disse que a equipe mostrou no Paraguai uma postura aguerrida formada ainda na fase de grupos. "Tem que ressaltar que o espírito de luta da equipe. Mas se a gente parar para raciocinar, isso vem também da vitória contra o Boca fora de casa, na virada com o São Paulo em casa", afirmou o volante. Em sete jogos na Libertadores, o Palmeiras tem seis vitórias e um empate.  

O time completou agora quatro jogos seguidos sem levar gols. A última vez em que o Palmeiras foi vazado foi na derrota por 1 a 0 para o Fluminense, o último jogo sob o comando do técnico Roger Machado. "Fora de casa mantivemos o nosso gol imbatível. Isso é importante", comentou Felipe Melo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.