Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Felipe Melo mostra confiança em recuperação de lesão: 'Voltarei em janeiro'

Capitão do Palmeiras mira em final da Libertadores, que será disputada no dia 30 de janeiro no Maracanã

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2020 | 20h17

Em recuperação de cirurgia no tornozelo esquerdo realizada no dia 9 de novembro, Felipe Melo está confiante em sua recuperação e disse que voltará a jogar pelo Palmeiras em janeiro. Ele fraturou o tornozelo durante partida contra o Vasco, em São Januário. A previsão inicial de recuperação era de três a quatro meses.

"As coisas têm andado de uma maneira até rápida. Escutei algumas pessoas falarem que a temporada tinha acabado para mim, mas essas pessoas estão equivocadas, porque em janeiro eu voltarei", afirmou Felipe Melo, em entrevista ao podcast da Conmebol Libertadores.

Felipe Melo está de olho na final da Copa Libertadores da América, que será disputada no dia 30 de janeiro, no Maracanã. O Palmeiras está nas oitavas de final e encaminhou a vaga às quartas ao vencer o Delfín por 3 a 1, no Equador. O duelo de volta será na quarta-feira, no Allianz Parque.

"É continuar fazendo o que estou fazendo, tendo um clube referência naquilo que faz. Em janeiro, estarei presente para ajudar os companheiros a conseguir a nossa obsessão, que é a Libertadores", disse Felipe Melo.

O capitão do Palmeiras também comemorou o fato de sua lesão ter sido considerada "leve", apesar da necessidade de cirurgia. Felipe Melo fraturou o tornozelo em choque com Neto Borges, de forma acidental. No lance, Zé Rafael empurrou o jogador vascaíno, que caiu sobre a perna de Felipe Melo.

"Poderia ser muito pior o que aconteceu comigo, poderia ter uma fratura exposta, ter danificado os ligamentos do joelho. Os médicos ficaram bem preocupados, mas o milagre começou ali de eu não ter tido uma fratura", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasFelipe Melo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.