Marcio Fernandes de Oliveira/Estadão
Marcio Fernandes de Oliveira/Estadão

Felipe Melo volta atrás sobre áudio, mas nega desculpas a Cuca

Reintegrado ao Palmeiras, volante diz ter resolvido a situação com o clube e evita falar em perdão ao treinador da equipe

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

04 de setembro de 2017 | 15h38

O volante Felipe Melo voltou ao Palmeiras nesta segunda-feira com uma entrevista coletiva breve, de 12 minutos, e com respostas curtas. Após ficar afastado por um mês por ter se desentendido com o técnico Cuca, o jogador de 34 anos afirmou ter resolvido todas as pendências com o clube e garantiu estar à disposição para trabalhar, mas negou ter pedido desculpas ao treinador.

O afastamento dele se deu após um áudio em que o jogador chamava o técnico de mau caráter e covarde. A gravação foi logo depois de uma briga no vestiário do Mineirão, em 26 de julho, após eliminação para o Cruzeiro, na Copa do Brasil. "O que tinha de ser conversado, já foi. Falei com o próprio treinador. Expus tudo o que pensava dele. O áudio foi uma situação depois do meu afastamento. O importante é que conversei com ele, a gente se acertou. O que saiu no áudio eu não acho dele, não foi de coração", disse.

Em outro trecho da entrevista coletiva, Felipe Melo interrompeu uma pergunta e deixou claro ter ajeitado a situação no clube com um pedido de desculpas endereçado ao Palmeiras, e não diretamente ao treinador. "Para o Cuca, não. Não disse que pedi desculpas ao Cuca", afirmou o jogador. Antes do Palmeiras, os dois haviam trabalhado juntos e tido problemas no Grêmio, em 2004.

Felipe Melo disse não estar arrependido por tudo o que houve no clube. "Tem certas coisas que a gente erra. O mais importante é assumir. Não tenho problema em pedir desculpa e perdão. Foi feito isso. Não me arrependo porque serviu de aprendizado para que não aconteça no futuro, Obviamente que não faria amanhã", disse o jogador do Palmeiras.

O volante disse ter recebido apoio de familiares e amigos durante o período de afastamento e garante que a reintegração foi planejada. "Conversei com todo mundo, treinador, diretor, presidente, minha família. Uma volta planejada. Foi muito conversado antes de acontecer tudo", disse. Quando ficou longe do time, o jogador recebeu sondagens de outras equipes.

O afastamento por mais de um mês deixou Felipe Melo bastante insatisfeito. Os advogados do atleta entraram com duas notificações extrajudiciais contra o clube, com a alegação de que a decisão do clube configurava assédio moral e desrespeito às leis trabalhistas. O Palmeiras tentou contornar a situação, procurou um acordo de rescisão amigável, mas não houve acerto nos valores a serem pagos. 

Pouco depois da coletiva, o jogador foi ao Twitter para tentar se explicar sobre algumas declarações mais polêmicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.