Divulgação|Porto FC
Divulgação|Porto FC

Negociação de Felipe pode 'ajudar' o Corinthians a comprar Pablo

Clube português deve exercer direito de compra do jogador, que deixou o time alvinegro no ano passado

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2017 | 07h01

Felipe deixou o Corinthians em junho do ano passado, mas ainda deve render frutos ao clube. O Porto pretende exercer o direito de compra dos 25% dos direitos econômicos pertencentes ao time alvinegro e a diretoria corintiana deve usar o dinheiro para comprar Pablo, que tem contrato de empréstimo até o final da temporada.

Quando comprou Felipe do Corinthians, o Porto fixou um valor de compra dos 25% dos direitos que ficaram nas mãos do clube brasileiro. Os valores não são revelados, mas a informação é que a quantia gira em torno de 5 milhões de euros (R$ 17 milhões). A ideia dos portugueses é comprar tal fatia e negociá-lo com o Real Madrid, que está disposto a investir 30 milhões de euros (R$ 102 milhões). 

Pablo tem vínculo com o Corinthians até o fim do ano e os dirigentes já entraram em contato com os representantes do atleta e com o Bordeaux, da França. O defensor se esquiva sobre o assunto.  "Estou muito feliz no Corinthians e vivendo um sonho, mas essa parte da negociação eu deixo para o meu empresário conversar com o clube", disse Pablo, que deixou claro não depender apenas de sua vontade para o negócio sair. 

Para ficar com o zagueiro, o Corinthians pagará algo em torno de 3 milhões de euros (R$ 10 milhões) ao clube francês. A ideia da diretoria alvinegra é acertar a compra dele e utilizar o restante do dinheiro ganho com Felipe para reforçar outros setores, como a lateral-direita e o meio de campo. 

O clube espera acertar ainda essa semana a contratação do meia Valdivia, do Inter. Em troca, o meia Giovanni Augusto irá para o Internacional, ambos por empréstimo válido até o final da temporada. 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.