Feliz com aumento, Lewandowski sela paz com Borussia Dortmund

De acordo com a imprensa alemã, atacante teve o salário mais do que triplicado

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2013 | 11h17

BERLIM - Um dos principais destaques do Borussia Dortmund na temporada passada do futebol europeu, na qual o time se sagrou vice-campeão da Liga dos Campeões, o atacante Robert Lewandowski chegou a entrar em conflito com a diretoria do clube alemão depois de a mesma ter impedido a saída do atleta para o rival Bayern de Munique. Agora, porém, o jogador polonês garante estar feliz com a sua atual situação.

Após o atrito no qual o Borussia conseguir segurar Lewandowski ao alegar que tinha contrato com o atacante até 2014, frustrando os planos do goleador, a paz entre as partes foi selada depois que a diretoria do clube ofereceu um considerado aumento salarial ao atleta.

Os valores do acordo não foram revelados pelo Borussia, mas órgãos da imprensa alemã noticiaram que o salário anual de Lewandowski saltou de 1,5 milhão de euros para 5 milhões. E a valorização que ganhou fez o atacante prometer a sua permanência.

"A situação agora é a de que ficarei em Dortmund por mais um ano. Colocamos de lado todas as divergências e tudo que precisava ser corrigido foi tratado. Alguns erros foram cometidos, mas nós passamos uma linha sobre essa questão e seguimos em frente", disse o jogador, em entrevista à revista alemã Sport Bild, publicada nesta quarta-feira.

Sensação do Borussia na temporada passada, na qual marcou 24 gols no Campeonato Alemão e mais dez na Liga dos Campeões, sendo quatro deles em um só jogo contra o Real Madrid, Lewandowski admitiu que, em junho, ficou "muito decepcionado e nervoso" por não ter sido liberado pelo clube, mas enfatizou que agora "tudo está calmo". E destacou: "Sempre disse que eu honraria o meu contrato".

Derrotado pelo Bayern de Munique na final da Liga dos Campeões e na decisão da Copa da Alemanha, assim como viu o rival ser campeão alemão com folga, o Borussia se esforçou para segurar Lewandowski depois de ter perdido o meia Mario Götze justamente para o Bayern, em transação polêmica que estourou dias antes da final da principal competição interclubes do futebol europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.