Paulo Favero/ Estadão
Paulo Favero/ Estadão

Fellipe Bastos é apresentado e não vê a hora de estrear pelo Corinthians

Reforço alvinegro acertou contrato por duas temporadas com o clube

Paulo Favero, enviado especial a Flórida, Estadao Conteudo

19 de janeiro de 2017 | 15h54

O volante Fellipe Bastos foi apresentado nesta quinta-feira na sede do The Realty People, em Orlando, na Flórida, onde o Corinthians realiza parte da sua pré-temporada. O jogador que estava nos Emirados Árabes Unidos acertou contrato por duas temporadas e mostra ansiedade para jogar pelo novo clube. "Fiquei muito feliz pelo interesse. É um sonho realizado jogar no Corinthians", disse.

Fellipe Bastos, de 26 anos, é carioca e começou sua trajetória no Botafogo, nas categorias de base. Chegou a ir para a Holanda, no PSV Eindhoven, e teve convocações para as seleções sub-15 e sub-17. Em 2010 estava no Benfica. Depois passou por Belenenses, de Portugal, e Servette, da Suíça. Foi vendido ao Vasco, atuou na Ponte Preta e Grêmio, por empréstimo, até ser contratado pelo Al-Ain, dos Emirados Árabes Unidos.

No Corinthians, ele deve disputar a vaga no time titular com Camacho, para formar a linha de quatro atletas no meio no esquema 4-1-4-1. Pelo seu estilo, não seria o jogador para fazer a função de primeiro volante, atualmente ocupada por Gabriel, recém-contratado do Palmeiras. "Já joguei como primeiro volante, mas prefiro ficar na linha da frente, pois tenho bom passe, chuto bem ao gol e me sinto bem ali", comentou.

Ele é a sétima apresentação do clube para a temporada e lembra que também tem a característica de cobrar faltas, algo que o time necessita. Para ele, o time que está sendo montado tem tudo para brilhar. "A desconfiança do torcedor é normal, mas temos de mostrar que estamos querendo vencer", afirmou.

Fellipe Bastos garante que está pronto para ajudar o time quando for preciso e espera ser escalado para disputar a final da Florida Cup no sábado, contra o vencedor do duelo entre São Paulo e River Plate, que será nesta quinta-feira. "É muito ruim ficar fora e espero ter alguma chance. Estou motivado para vestir essa camisa", contou o volante, que ganhou a camisa de número 35 das mãos do diretor Flavio Adauto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.