Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Fellype Gabriel deixa a arquibancada para estrear no Palmeiras

Após um ano sem jogar, meia pode estrear contra o Cruzeiro

O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2015 | 11h44

Uma das novidades do Palmeiras para encarar o Cruzeiro nesta quarta-feira, às 22h, no Allianz Parque, é o meia Fellype Gabriel. Após um ano sem jogar, ele deve ficar como opção no banco de reservas para o técnico Marcelo Oliveira e com grandes chances de entrar. O jogador comemora o fato de poder começar a escrever sua história com a camisa alviverde.

"Estou muito feliz por poder estar agora no campo, e não só na arquibancada. Amanhã será uma sensação maravilhosa. Estou há muito tempo parado pela questão da documentação e pela lesão e, por isso, aumenta um pouco a ansiedade, mas espero evoluir a cada dia e aproveitar cada oportunidade que eu tiver”, disse o meia, em entrevista ao site oficial do clube.

Fellype Gabriel foi contratado em maio e não conseguiu jogar antes por causa de problemas burocráticos e também por estar com condições físicas delicadas, já que ficou quase um ano sem jogar, por causa de duas lesões no Sharjah, dos Emirados Árabes. Ele acabou sendo apresentado em julho, mas se sente como estivesse no início da temporada.

“O dia a dia dos treinamentos vem sendo muito importante para a minha evolução. Eu venho me dedicando bastante para chegar ao nível dos meus companheiros. O meu ano está praticamente começando agora. O time está entrosado, os jogadores estão jogando juntos há muito tempo, e então eu tenho de correr atrás para quando o professor precisar de mim eu corresponder à altura”, comentou.

O meia foi relacionado pelo técnico Marcelo Oliveira porque o treinador não pode contar com Robinho, que sente uma fadiga muscular. Além de Fellype Gabriel, outro estreante na noite é o volante Daniel. O garoto é revelado pelo Palmeiras e disputou a última edição da Copa São Paulo. Ele foi promovido há poucas semanas, junto com o lateral-direito Taylor e assim como seu companheiro, tem a chance de já poder atuar pelo time alviverde e diante de uma arena com um público muito bom. Até a noite de terça-feira, foram vendidos 21 mil ingressos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.