Divulgação
Divulgação

Fenerbahçe recorre à CAS contra punição por escândalo

No início da semana a própria Uefa rejeitou o recurso apresentado pelo clube turco

AE-AP, Agência Estado

17 de julho de 2013 | 18h01

GOING, ÁUSTRIA - O Fenerbahçe acionou a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) nesta quarta-feira para tentar reverter a punição que lhe foi imposta pela Uefa por envolvimento em escândalo de manipulação de resultado. O clube está proibido de participar de qualquer competição europeia para qual se classificar nas próximas duas temporadas.

No início da semana, a própria Uefa rejeitou o recurso apresentado pelo Fenerbahçe, deixando ao clube a única alternativa de recorrer à CAS, última instância esportiva para o julgamento do seu caso. A equipe é acusada de envolvimento em escândalo na temporada 2011/2012 do futebol europeu.

Atual vice-campeão turco, o Fenerbahçe acabou excluído da próxima edição da Liga dos Campeões, cujo sorteio dos confrontos da terceira fase preliminar e classificatória para o estágio de grupos será realizado nesta sexta-feira. O clube alega que a suspensão deveria ser "congelada" enquanto a CAS não se pronuncia.

A punição faria com que o Besiktas, terceiro colocado no último Campeonato Turco, herdasse a vaga em aberto. Porém, a Uefa também rejeitou um recurso apresentado pelo clube contra suspensão aplicada por manipulação de resultado na final da Copa da Turquia de 2011. Desta forma, o Besiktas também decidiu recorrer à CAS.

Ambos os clubes negam qualquer envolvimento em esquemas de manipulação e, tentando convencer a Uefa disso, o Fenerbahçe enviou uma carta de protesto à entidade, assinada pelos seus jogadores. "Sequer ficou provado que somos culpados. Temos muitas questões para a Uefa", chegou a comentar o atacante Dirk Kuyt, ex-Liverpool.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUefaCASFenerbahçe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.