Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Ferj libera clubes para voltarem a treinar nos CTs, mas autoridades do Rio vetam

Para a entidade que comanda o futebol carioca, liberação será possível desde que equipes atendam a três recomendações

Redação, Estadão Conteúdo

04 de maio de 2020 | 09h02

Com o final do período de férias dado aos jogadores no mês de abril, os clubes pensam no que fazer a partir de agora para colocar seus elencos em forma física e tática para uma possível volta das competições, paralisadas por conta da pandemia do novo coronavírus. No Rio de Janeiro, a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) emitiu uma nota oficial autorizando os times a retomarem os treinos em seus centros de treinamento.

Para a entidade que comanda o futebol carioca, isso só será possível desde que os clubes atendam a três recomendações: comprometimento com a saúde e a vida alheia mediante cumprimento de diretrizes de autoridades competentes; obediência às determinações governamentais; e seguimento de procedimentos e protocolos técnicos e científicos recomendados à proteção individual e coletiva.

Assinada pelo presidente Rubens Lopes, a resolução deixa a decisão da volta aos treinos nos CTs com cada clube em consenso com seus respectivos jogadores. Mas nada disso pode acontecer sem a aprovação das autoridades, que por enquanto decretaram a quarentena até a próxima segunda-feira. Tanto que o governo do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura do Rio de Janeiro vetaram a liberação.

"A Prefeitura não autoriza. A Prefeitura entende que isso significa toda uma estrutura de trabalho envolvida e, em ondas, vai aumentar a aglomeração. O prefeito deu entrevista nesta tarde (de domingo) e alertou que esta é uma semana decisiva porque vamos receber, pelo município, equipamentos que a Prefeitura havia comprado para a saúde em agosto de 2019, incluindo os essenciais respiradores (que somam 806). Mas o estado e o governo federal não terão por agora a leva de equipamentos que compraram. As curvas aumentam e a população precisa atentar e ficar em casa porque será a semana mais preocupante agora", disse uma nota oficial.

A posição do governo do Estado é a mesma. "Para conter a propagação da Covid-19, o decreto 47.052, que prorroga as medidas restritivas até o dia 11 de maio, suspende a frequência de pessoas em espaços que possam gerar aglomerações. A recomendação é que a população se mantenha em distanciamento social".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.