Nelson Perez/Fluminense
Nelson Perez/Fluminense

Ferj rebate Maracanã, Flamengo e Fluminense sobre ingressos

Clubes e concessionária que administra o estádio são contra tabelamento de preços dos ingressos para o Campeonato Carioca

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2015 | 19h00

O regulamento sobre os preços dos ingressos para o Campeonato Carioca segue causando polêmica. A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) rebateu, por meio de nota publicada neste sábado, um manifesto conjunto de Flamengo, Fluminense e Consórcio Maracanã, que criticava os valores da entradas definidos para os jogos da competição estadual.

A Ferj reiterou que os custos dos bilhetes foram decididos por voto da maioria dos times participantes do Carioca, e que não pode restringir suas ações em função dos interesses dos dois clubes. "O valor dos ingressos, pelo regulamento em vigor, regulamento esse aprovado tanto pelo Fluminense quanto pelo Flamengo, é decidido, assim como o foi, pelo Conselho Arbitral, ou seja, por todos os clubes em conjunto. Programas como sócio-torcedor podem e devem ser adaptados para se adequar a nova realidade necessária a uma coletividade", diz a nota.

Segundo a norma definida pela Ferj, os ingressos vão custar no máximo R $50 para clássicos e R$40 nos demais confrontos. No manifesto publicado na quinta-feira, Flamengo e Fluminense, que têm contrato com o Consórcio Maracanã, alegam que a determinação vai provocar prejuízo financeiro e dano na promoção dos planos de sócio-torcedor.

Recentemente, o Consórcio Maracanã cogitou desistir da administração do estádio alegando que não estava obtendo o retorno esperado, inclusive, por não cumprimento de promessas governamentais. Na nota, a Ferj também contestou o interesse do consórcio nos preços dos bilhetes.

"À Concessionária Maracanã carece de legitimidade para imiscuir-se em assuntos que não lhe dizem respeito, pois como mera administradora de uma arena desportiva, aliás, um bem público construído com o dinheiro da população, cabe-lhe, tão somente, determinar o preço para a utilização de sua casa de espetáculos, competindo aos clubes que dela queiram se utilizar decidir sobre o que melhor lhes for conveniente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.