José Patricio/AE
José Patricio/AE

Fernandão revela desapontamento e chora em despedida

Demitido nesta terça-feira, ele desabafou e não conteve as lágrimas

AE, Agência Estado

20 de novembro de 2012 | 14h38

PORTO ALEGRE - O técnico Fernandão falou com o coração na sua entrevista coletiva de despedida do Internacional. O treinador não conteve as lágrimas ao falar do volante Ygor e também demonstrou desapontamento com um ou mais jogadores a quem considerava "amigo", mas não citou nomes.

Demitido pela diretoria nesta terça-feira, o capitão do título mundial de 2006 desabafou na coletiva. "Aprendi que no futebol você não pode falar a verdade. Não vou mentir, mas vou omitir. Me reservo ao direito de ficar calado. Eu deveria ter tomado algumas atitudes, fui amigo de quem não merecia ser amigo. Eu aprendi com isso, separar profissionalismo de amizade", disse Fernandão.

O treinador negou que tenha se arrependido de uma declaração que deu depois da derrota para o Sport, quando disse que o grupo estava num "zona de conforto". Comenta-se que a declaração teria incomodado o grupo, que passou a desejar a demissão de Fernandão, o que incluiria um boicote ao time no clássico contra o Grêmio. Ele refuta essa possibilidade.

Também nega que o episódio envolvendo Bolívar tenha influenciado na sua demissão - o defensor foi afastado na segunda, porque se recusou a ficar no banco diante do Corinthians depois de ser chamado às pressas à concentração com o corte de Juan. Por outro lado, ele lembrou que Ygor se ofereceu pra jogar na defesa contra o Atlético-MG, quando o treinador não tinha outras opções.

E foi nesse momento que Fernandão começou o choro que durou cerca de cinco minutos. "O Ygor me disse para eu ficar tranquilo e se colocou à disposição na mesma hora para ser zagueiro naquele jogo. Eu já tinha pedido para um jogador (supostamente Bolatti) fazer a função e ele se recusou. Foi uma demonstração muito grande que o Ygor me deu. E foi nosso melhor jogo no campeonato", comentou o treinador, falando de um jogador que foi a maior parte do tempo reserva.

SUBSTITUTO

Nos dois últimos jogos do Brasileirão o Inter será treinado interinamente por Osmar Loss. O técnico, que estava no time sub-23, comandará o treino na manhã desta quarta-feira, no CT do Parque Gigante.

"Vamos começar a procurar um novo técnico, para que ele comece a trabalhar desde a pré-temporada. Sabemos o que tem que ser mudado para 2013 e já estamos trabalhando para isso. De qualquer forma, tenho certeza que o Fernandão terá um grande futuro como treinador", disse o vice-presidente de futebol Luciano Davi.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterBrasileirãoFernandão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.