Ivan Storti/Santos F.C
Ivan Storti/Santos F.C

Fernando Diniz admite partida abaixo do esperado do Santos: 'Recuamos muito'

Apesar de João Paulo ter sido decisivo para a vitória, treinador santista acredita que o time não se defendeu mal

Redação, Estadão Conteúdo

01 de agosto de 2021 | 22h08

Feliz com o resultado, insatisfeito com o desempenho do Santos. Esse misto de sentimentos retratou como Fernando Diniz se sentiu após o 1 a 0 sobre a Chapecoense, neste domingo. O treinador admitiu que sua equipe não se comportou bem na Arena Condá e acabou recuando muito após abrir vantagem na placar.

O Santos abriu o marcador aos 42 minutos do primeiro tempo. Com a vantagem, apenas se defendeu após o intervalo e acabou sofrendo enorme pressão da Chapecoense. Não fosse o goleiro João Paulo, o resultado seria negativo em mais uma visita no Brasileirão.

"No primeiro tempo poderíamos ser mais contundentes, mas no segundo estivemos abaixo. Nos defendemos razoavelmente bem. Mas poderíamos ter jogado melhor", admitiu Diniz. O treinador, contudo, não admite que o Santos marca mal longe de casa, apesar das defesas de João Paulo salvarem contra a Chapecoense. Disse que foi um fato raro em sua jornada no clube.

"Não sei em quantas partidas estou, mas discordo (sobre defender mal). Isso aconteceu em dois jogos de, sei lá, 20. Não são uma regra", garantiu. "Santos domina mesmo fora de casa, mas isso aconteceu contra Independiente e hoje. E mesmo assim conseguimos resultados que nos interessava. Classificação lá e vitória aqui", enfatizou.

Nos dois jogos citados, realmente o Santos levou enorme pressão e acabou se amparando nas defesas de João Paulo. Para Diniz, poucas vezes isso se repetirá. "A gente pressiona adversários dentro e fora de casa. Isso aconteceu pelo 1 a 0 e tivemos recuo demasiado", discursou. "Na maioria dos jogos temos protegido muito bem, em outras ocasiões não. Hoje foi uma delas e contra o Independiente, a outra. Foram as duas únicas, vamos dizer assim, até porque uma ou outra finalização sempre acontece. Protegemos menos no segundo tempo hoje."

E justificou, em parte, a atuação ruim do Santos pelo gramado alto e pelos passes errados. "Foram muitos passes errados no início das jogadas, o adversário cresceu e isso acontece. E aí tivemos que nos defender como podíamos por três pontos importantes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.