Mailson Santana/Fluminense
Mailson Santana/Fluminense

Fernando Diniz agradece ao Fla por classificação, mas reclama de datas

Técnico diz que 'foi mais agonizante que feliz' torcer para o rival no domingo passado

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2019 | 19h55

O técnico Fernando Diniz, do Fluminense, estava feliz pela vitória do Flamengo sobre o Vasco, obtida nos pênaltis no domingo na final da Taça Rio, que acabou classificando o time tricolor para as semifinais do Campeonato Carioca. Porém, o treinador se mostrou ao mesmo tempo contrariado, nesta segunda-feira, por causa das datas dos próximos jogos da sua equipe.

Diniz falou primeiro sobre o triunfo dos flamenguistas, que só veio depois de empate por 1 a 1 com os vascaínos no tempo normal, no Maracanã. "Foi muito mais agonizante que feliz, mas terminou da melhor maneira possível. Ter que torcer foi uma sensação de impotência, uma sensação muito estranha. Mas, de fato, eu acreditava que o Flamengo tinha condições de vencer o Vasco. Não dá para chamar esse time de reserva, pois tem jogadores que seriam titulares em diversos clubes do Brasil. Foi um jogo bem difícil e premiou o Fluminense estar entre os quatro. Pelo campeonato que o Fluminense fez, merecia ter a chance de disputar o título, a semifinal e, quem sabe, sonhar com o título do Campeonato Carioca", disse o comandante em entrevista coletiva.

Depois, Diniz reclamou da marcação das datas dos próximos três jogos da equipe. O Fluminense inicia uma semana de decisões: enfrenta o Luverdense nesta quarta-feira, pela terceira fase da Copa do Brasil, pega o Flamengo no sábado, na semifinal do Campeonato Carioca, e volta a encarar o Luverdense no dia 9, no Maracanã.

O treinador também lembrou como será a jornada que o time precisará enfrentar já a partir do final da noite desta segunda-feira, na viagem cujo último destino é Lucas do Rio Verde (MT), palco do duelo de ida do mata-mata com o Luverdense.

"É muito desgastante. Todo mundo sabe. Não importa se é jogador, executivo, pai de família, criança. Cansa todo mundo. A gente vai sair às 23h. Fretamos um avião, mas vai ser ruim. Vamos parar em Cuiabá, depois Sorriso. E só vamos chegar às 3h30. É um local quente. Depois, voltamos. Para jogar no sábado. Não foi coerente. Merecia a chance de jogar no domingo, pelo apelo do clássico. A CBF, aproveitando isso, mudou a volta para terça. A gente não foi beneficiado não no sentido das datas", reclamou.

Especificamente sobre o duelo com o Luverdense, Diniz prevê dificuldades. "Vai ser um jogo difícil em Lucas do Rio Verde, quem já jogou lá sabe que é um jogo atípico, o campo com características particulares. Tem a questão da viagem, já estive lá e sei que é difícil. É só ver o histórico deles na Copa do Brasil, costumam fazer jogos complicados, eles tem um excelente treinador. Então, esperamos uma partida bastante dura."

O técnico não quis adiantar o time que poderá colocar em campo. "Temos algumas possibilidades, a gente vai quebrar a cabeça para montar, estou pensando em algumas alternativas para suprir a ausência do Airton. Vamos ver o que é o melhor para o Fluminense na partida", despistou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.