Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Fernando Diniz culpa desfalques por oscilação do Flu, mas vê time em evolução

Tricolor carioca empatou com o Flamengo e foi eliminado na semifinal do Campeonato Carioca

Redação, Estadão Conteúdo

07 de abril de 2019 | 10h54

O técnico Fernando Diniz diz não saber em qual estágio o Fluminense está neste momento da temporada, em que os seus comandados foram eliminados do Campeonato Carioca pelo Flamengo na semifinal e a poucos dias do começo do Campeonato Brasileiro.

O treinador, no entanto, garante que o time tricolor está evoluindo, apesar das oscilações, fruto, segundo ele, do pouco tempo hábil para treinos e dos desfalques. No empate em 1 a 1 com o Flamengo, que garantiu ao rival a classificação à final do torneio estadual, o Fluminense, por exemplo, não pôde contar com Airton, Digão e Paulo Henrique Ganso.

"Tem partidas que jogamos melhor na questão da posse, da saída com goleiro, saída de trás pelo chão, tivemos mais controle no campo defensivo. Isso oscila muito. E uma das coisas se deve ao fato que você tem pouco tempo para treinar e tem que ficar mexendo no time. Se tivéssemos o mesmo time jogando e com pouco tempo para treinar, o dano seria muito menor", avaliou o técnico.

Mesmo com a eliminação do Estadual, o tempo para Fernando Diniz treinar a equipe seguirá curto, por enquanto, já que o Fluminense volta a campo na próxima terça-feira, para enfrentar o Luverdense, no jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil, no Maracanã.

"O mais importante no futebol é essa consistência emocional, essa maturidade, essa casca que o time vai ganhando para poder jogar jogos como esse. Sabemos que o Brasileiro é um campeonato longo e muito difícil. A evolução e a experiência está acontecendo em todos os níveis. Não sei precisar em que nível está, mas está indo para frente", declarou Diniz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.