Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Fernando Diniz lamenta gol de empate do Inter sofrido no fim: 'Jogo controlado'

Yuri Alberto, ex-jogador do Santos, foi quem marcou para a equipe colorada

Redação, Estadão Conteúdo

22 de agosto de 2021 | 22h12

O empate por 2 a 2 com o Internacional foi lamentado pelo técnico Fernando Diniz, do Santos, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Especialmente pelo fato do time gaúcho ter conseguido balançar as redes no final do jogo, com o atacante Yuri Alberto, na Vila Belmiro. Ele considerou o gol como "totalmente evitável", mas não elegeu culpados.

"Estou contente com a resposta, não sobre virar ou não, mas jogou diferente de quinta-feira (contra o Libertad, pela Copa Sul-Americana). E chateado pelo gol completamente evitável. Jogo controlado, Inter praticamente não chegou com perigo no segundo tempo. Merecíamos a vitória pela maneira que o time se comportou taticamente, pela dedicação dos jogadores. Jogamos na quinta e o Inter só descansou. Time merecia a vitória hoje", comentou o treinador.

Questionado sobre o lance do gol do ex-santista Yuri Alberto, Fernando Diniz desconversou. "Foi o sistema defensivo. Não vou apontar individualmente. Erro coletivo. É uma coisa muito treinada para quando estamos com linha baixa. Poderíamos ter tomado outro tipo de gol, esse é um lance que treinamos muito para não tomar", explicou.

Com o empate, o Santos ficou no 11º lugar, com 22 pontos. O time iria para o sexto lugar se conseguisse segurar a vitória em casa. A equipe vai agora até Curitiba para enfrentar o Athletico-PR, em jogo válido pela rodada de ida das quartas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira.

"Fizemos um bom jogo. Melhor resposta foi em relação ao Libertad. Time teve outra postura diante de adversário forte, de resultados positivos recentemente. Fizemos um jogo muito bom. No segundo tempo tivemos muitas chances de matar o jogo e não soubemos aproveitar", concluiu Fernando Diniz.

MARINHO

O técnico sente a falta de Marinho e ainda não sabe quando poderá utilizar o atacante no Santos. O camisa 11 se recupera de lesão muscular na coxa esquerda e ainda não voltou a treinar em campo.

"Marinho faz muita falta, até quando não está muito inspirado. Chama a atenção, equipes adversárias se preocupam e nosso time se sente mais à vontade com ele no campo. Não consigo precisar sobre o retorno, avaliamos no dia a dia e departamento médico ainda não tem uma data específica. Pode treinar e ficar à disposição a qualquer momento. Hoje não consigo adiantar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.