Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Fernando Diniz não se ilude com sequência de vitórias e quer Santos mais 'matador'

Treinador elogia espírito de luta da equipe, mas ressalta que falta 'capricho' do setor ofensivo para balançar as redes

Redação, Estadão Conteúdo

09 de junho de 2021 | 06h50

Gabriel Pirani foi substituído diante do Cianorte por falhar nas finalizações. Kaio Jorge e Marcos Guilherme também saíram antes do apito final depois de perderem chances claras, mas o segundo fez seu gol. Apesar dos três jogos com vitórias seguidas, o técnico Fernando Diniz ainda não está satisfeito com o desempenho ofensivo e quer um Santos mais "matador" para sofrer menos nos jogos.

Contra o Cianorte, após abrir o marcador, o Santos se acomodou em campo e, mesmo assim, ainda construiu chances de ampliar antes do intervalo. Diniz, louco da vida com os erros na cara do goleiro, passou o jogo berrando "calma" e "capricho". Com motivos.

Diante do Ceará, no sábado, após 1 a 0 e chances perdidas, sofreu o empate e viu o jogo complicar. Conseguiu buscar a vitória. Nesta terça-feira, não fosse John Victor e a história se repetiria. O goleiro salvou a igualdade. O treinador quer precisão nas finalizações pois sabe que os erros, em fases mais decisivas e contra rivais mais poderosos, podem ser fatais.

Diniz mostra satisfação com o espírito de luta de seus atacantes e faz somente a ressalva do capricho na hora de balançar as redes. Marcos Guilherme, que fez seu primeiro gol, e disputa posição com Lucas Braga, machucado, foi elogiado pela ajuda na composição das jogadas. O técnico o vê cada vez mais se firmando e até joga pressão nos outros titulares ao dizer que pode ser parceiro do companheiro fora de condição.

"(Marcos Guilherme) Vai ajudar e está ajudando. Hoje foi decisivo pela condição técnica, mas ajuda de forma sistemática na parte tática. Lucas Braga da mesma forma. Ganhou mais protagonismo com a minha chegada, aprende a flutuar mais em campo e podem jogar juntos com toda certeza."

Com a renovação de Carlos Sanchez e os muitos elogios a Jean Mota, pode sobrar para Pirani e Kaio Jorge, os "meninos" que andam com a pontaria descalibrada. Marinho é intocável.

Diniz anda encantado com Jean Mota e não esconde seu apreço pelo futebol do meia. "Jean Mota tem características importantes, que eu gosto: versátil, inteligente, participativo, bola longa boa e tem chute de fora da área. É muito tempo em clube grande e às vezes acaba sendo mais questionado do que deveria. Considero grande jogador, sempre gostei", afirmou, satisfeito com jogador.

"Tem nos ajudado bastante. E a tendência é de crescimento. Fico muito feliz por ele mostrar suas qualidades neste momento. Porque de fato ele é muito bom."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.