Amanda Perobelli / Reuters
Amanda Perobelli / Reuters

Fernando Diniz quer São Paulo 'agressivo' em confronto direto com o Atlético-MG

Técnico considera que time foi lento na derrota para o Corinthians e espera transições mais velozes contra o vice-líder

Redação, Estadão Conteúdo

14 de dezembro de 2020 | 05h00

O técnico Fernando Diniz não gostou nada da apresentação do São Paulo diante do Corinthians, em jogo que viu a invencibilidade de 17 jogos no Brasileirão chegar ao fim. E já adiantou a seus comandados que quer postura diferente no confronto direto com o Atlético-MG, quarta-feira, no Morumbi.

"Temos de fazer o que vínhamos fazendo. Ser um time mais agressivo, que toca a bola mais rápido e se protege melhor", cobrou. "Fazia muito tempo que o time não cedia contra-ataque como diante do Corinthians. Em relação ao clássico, temos muitas coisas a melhora", acrescentou.

A velocidade na transição das jogadas é outro ponto a ser ajustado diante dos mineiros. São quatro pontos de distância entre ambos e novo revés está fora de cogitação. A meta é voltar a abrir sete sobre o Atlético-MG. "Acho que a equipe foi muito lenta (contra o Corinthians), principalmente no primeiro tempo. Quando quebrava a linha, não aproveitava", avaliou Diniz, mostrando o que é necessário modificar na próxima rodada. "Fazia um jogo de posse de bola, só. Muito diferente do que fazíamos até então. Facilitamos muito as ações do Corinthians."

Para o confronto, o São Paulo não perdeu nenhum dos 10 pendurados, uma exigência de Diniz, mas a confusão no adutor da coxa de Luciano preocupa. Dificilmente o atacante terá condições de jogo. "Vamos reavaliá-lo amanhã (nesta segunda-feira). Saiu com desconforto grande no adutor, mas a princípio não é grave. Ele tentou continuar. Se fosse sério teria saído de imediato."

Com todos os titulares, o São Paulo buscará vingança dos 3 a 1 do Mineirão no qual Luciano teve um gol legal anulado pelo VAR com o placar ainda 0 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.