Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Fernando Prass diz que árbitros também deveriam pedir a utilização do VAR

Goleiro acredita que a arbitragem também deveria se posicionar favorável a utilização de vídeo para corrigir erros graves

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2018 | 05h01

O Palmeiras derrotou o Cruzeiro por 3 a 1, no domingo, mas os palmeirenses saíram de campo reclamando bastante da atuação da arbitragem, que deu um pênalti inexistente para os mineiros, ainda no primeiro tempo. Para o goleiro Fernando Prass, chegou a hora dos próprios árbitros pediram a utilização do VAR para se protegerem e evitar erros crassos como o que aconteceu no Pacaembu.

"Principais ligas do mundo tem VAR e nós não temos. É ruim para a credibilidade do campeonato. Falam que os árbitros estão errando mais, mas o fato é que existem muitas câmeras nos jogos e os erros ficam mais claros. É fácil criticar a arbitragem, mas já passou da hora de ter o VAR e isso deveria partir dos árbitros também. Todos os times são prejudicados, mas a culpa cai sempre em cima dos árbitros", comentou o goleiro palmeirense.

O VAR, árbitro de vídeo, passou a ser utilizado recentemente na Copa do Brasil e na Libertadores, entretanto, no Campeonato Brasileiro, a CBF chegou a fazer uma votação com as equipes que disputam o torneio, mas a maioria optou pela não inclusão, por questão financeiras. 

O lance que causou revolta nos palmeirenses aconteceu ainda no primeiro tempo, quando Gustavo Gómez tentou cortar a bola com o braço claramente fora da área, mas o árbitro deu pênalti, que foi convertido por Mancuello. Ao final da partida, o presidente do clube, Maurício Galiotte, fez duras críticas ao árbitro Dawson Freitas

No intervalo da partida, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, chegou a ir até a entrada do vestiário da arbitragem para reclamar e o ato foi relatado pelo árbitro na súmula da partida. "Informo que ao término do primeiro tempo, na saída do sexteto de arbitragem do campo de jogo para o vestiário, fomos abordados pelo sr. Alexandre Mattos, diretor de futebol da S.E. Palmeiras, que se encontrava atrás do gol, na frente dos túneis que dão acessos aos vestiários da arbitragem da equipe do Palmeiras. E de forma acintosa proferiu as seguintes palavras: 'vocês vão ver as imagens, não pode acontecer um erro desses'; em ato contínuo, o mesmo foi contido pelo policiamento e fiscais do jogo para que voltasse ao vestiário de sua equipe", diz o texto publicado pelo árbitro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.