Mario Cruz/ EFE
Mario Cruz/ EFE

Fernando Santos diz que renovação com Portugal foi simples: 'durante um café'

Treinador campeão europeu exalta boa relação com presidente da federação

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2016 | 17h34

Depois de renovar contrato com a seleção de Portugal até a Eurocopa de 2020, o técnico Fernando Santos concedeu uma entrevista coletiva nesta quinta-feira para comemorar a possibilidade de seguir no time que recentemente foi campeão europeu na França.

O treinador disse que o acerto com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, aconteceu sem problemas, de maneira informal. "Combinamos de nos encontrar no Algarve durante as férias. Sentamos para tomar um café e facilmente chegamos a um acordo", informou.

A relação de confiança entre os dois durante o trabalho nas Eliminatórias e depois durante a Eurocopa facilitou também o acerto. "Houve um momento que me marcou. Logo depois do jogo contra a Áustria (ainda pela primeira fase da Eurocopa), Fernando Gomes disse-me ao ouvido: ‘não te esqueças que conto contigo’. Foi importante porque naquele momento muitos desconfiavam, menos eu. Havia alguma desconfiança e ele transmitiu-me toda a confiança", comentou.

O lema para os próximos anos continua o mesmo: "Só temos uma palavra chave desde o primeiro dia, que é ganhar. E vamos lutar por isso", emendou.

O mandatário da entidade portuguesa também rasgou elogios ao treinador. "Desde muito cedo ficou claro que Fernando Santos é a pessoa certa para o cargo e a renovação começou a ser tratada antes da Eurocopa", afirmou. "No início de maio, tive a oportunidade de transmitir isso ao Fernando Santos", revelou.

Depois da conquista inédita da competição europeia, Fernando Santos chamou a atenção de diversos clubes. O Beijing Guoan, da China, clube onde atuam os brasileiros Ralf e Renato Augusto, ex-Corinthians, teria oferecido um contrato de dois anos no valor de 8 milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões), quatro vezes mais do que ele recebia na seleção portuguesa antes da renovação.

No comando de Portugal desde 2014, Fernando Santos começou a carreira de treinador em 1987 com o Estoril, onde permaneceu por sete anos. Depois passou por Estrela Amadora e Porto para em seguida, em 2001, deixar o seu país pela primeira vez para trabalhar no futebol grego.

Trabalhou no AEK Atenas e Panathinaikos entre 2001 e 2003. Retornou para Portugal, onde treinou o Sporting Lisboa por uma temporada, quando recebeu novo convite do AEK. Em 2006 e 2007 dirigiu o Benfica e voltou mais uma vez para a Grécia. Trabalhou no PAOK entre 2007 e 2010 e recebeu o convite para treinar a seleção grega entre 2010 e 2014. Após a Copa no Brasil, foi convidado para substituir Paulo Bento, hoje técnico do Cruzeiro, no comando da seleção portuguesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.