Fernando se destaca no Palmeiras

O volante Fernando, do Palmeiras, é mais um dos exemplos de longevidade no futebol brasileiro. Mesmo criticado por exagerar nas faltas e ser o jogador preferido dos técnicos defensivistas, em outros tempos, seus 33 anos certamente serviriam como empecilho para ele se manter como titular em alguma equipe grande do futebol brasileiro. Mas, com a evolução da preparação física, o jogador mantém-se como um dos alicerces do esquema 3-5-2 do técnico Celso Roth no Palmeiras e, o que seria mais difícil no passado, em uma posição que exige muito fôlego para comandar o sistema de marcação de sua equipe.Na semana passada, seu condicionamento permitiu até que ele fosse ao ataque, atuando como lateral-direito ao fazer o cruzamento para o gol de Alex, contra o Sport Boys e ao marcar ele mesmo um gol na vitória por 5 a 1 sobre a União Barbarense. "Sinto-me tão bem quanto no início da minha carreira", observou o jogador, que irá completar 34 anos no dia 3.Segundo ele, suas funções modificaram-se completamente desde que Roth assumiu a equipe. Antes, com Marco Aurélio no comando, ele atuava como um verdadeiro protetor da zaga. Agora, dá mais consistência ao meio-de-campo e aos laterais, avançando quando necessário. Ele ressaltou, no entanto, que a experiência às vezes ajuda a vencer uma disputa de bola. "Aprendi a me posicionar melhor. Mas nem por isso, o desgaste físico diminui, a colocação facilita o aproveitamento de passes", destacou.Segundo o preparador físico do clube, Carlos Pacheco, Fernando não necessita de um treinamento diferenciado por causa da idade. Pelo contrário, o condicionamento físico do volante, segundo Pacheco, é um dos melhores do grupo. O preparador observou que o preconceito contra os jogadores acima de 30 anos diminuiu muito nos últimos anos não somente por causa da evolução da Ciência. Para Pacheco, a conscientização dos atletas quanto ao seu real potencial, assim como com relação aos cuidados com descanso e alimentação fora do campo aumentaram muito. No caso de Fernando, Pacheco observou que conversa bastante com o jogador para que ele se mantenha em forma. "Se ele continuar com este comportamento, sua carreira certamente vai se prolongar em alta por muito mais de três anos", concluiu.A equipe treinou nesta quarta-feira à tarde visando à partida contra o São Caetano, domingo, no Palestra Itália, pelo Campeonato Paulista. O técnico Celso Roth deverá manter a equipe que venceu a União Barbarense no domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.