Fernando Torres diz que Kaká não deveria ir para o City

Atacante espanhol acredita que o meia brasileiro deveria pensar mais na carreira do que no dinheiro

EFE,

17 de janeiro de 2009 | 14h17

O atacante espanhol Fernando Torres, do Liverpool, disse neste sábado que não vê com bons olhos a possível ida do meia brasileiro Kaká ao Manchester City. Para o campeão europeu em 2008, o jogador do Milan deveria pensar muito antes de trocar o Milan por um clube que não luta por títulos.Veja também:Berlusconi diz que será difícil impedir saída de Kaká para o City Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "O Manchester City não é a equipe adequada para Kaká. Falando sério, como podem pagar 100 milhões (de libras) por Kaká?", afirmou ao Daily Mail."Os grandes jogadores querem conquistas e o Manchester City não é uma das equipes que brigam por títulos na Inglaterra. Estão lutando para permanecer na primeira divisão inglesa ou para ficar na metade de cima da tabela", acrescentou.Torres também falou que não consegue imaginar Kaká atuando pelo City. Além disso, acredita que um bom contrato não é tudo na carreira de um jogador."Seria um contrato fantástico, mas há outras coisas mais importantes que o dinheiro. Um jogador quer ser recordado pelo que ganhou. Imagine-se dez anos após a aposentadoria. Você olha para trás e percebe que não está em nenhuma foto, não tem medalhas, nem taças. É como jogar para nada", assinalou."É como quem tem um carro fantástico, uma casa fantástica, mas será que é isso que importa? Você pode ter um contrato melhor que os seus amigos, mas nenhum jogador olha pra trás e diz: 'ganhei mais dinheiro'", completou.O atacante espanhol afirmou que a situação do City, comprado recentemente por um grupo de investidores, é diferente da que o Chelsea viveu há alguns anos, quando foi adquirido pelo milionário russo Roman Abramovich."É preciso construir um time forte e tentar chegar ao mesmo nível dos grandes clubes. Depois disso, talvez, um jogador top poderá ser contratado. O Chelsea já estava bem antes de contratar grandes estrelas. Agora, todos querem jogar lá, mas ninguém se interessava pela equipe quando Abramovich chegou. Construíram um grande clube e, depois, tudo aconteceu", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.