Festa do Inter invadiu a madrugada

Vestidos com a camiseta vermelha, os torcedores do Internacional mantiveram a pose de campeões brasileiros nesta segunda-feira, em Porto Alegre, depois de comemorarem até a madrugada aquele que seria o quarto título nacional do clube gaúcho. "Ganhamos no campo, isso é o que importa", sustentava o entregador de bebidas Paulo Dutra Feitosa em cada bar e restaurante da zona central que entrava, repetindo, como quase todos os colorados, o discurso que diretores e jogadores haviam feito ao final do jogo de domingo, em Curitiba, e na chegada a Porto Alegre. Como preferem considerar uma tabela final de classificação que leva em conta os resultados dos 11 jogos anulados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), os colorados entendem que o Internacional terminou o campeonato um ponto à frente do Corinthians. Por isso, enquanto o time comemorava em Curitiba, os torcedores tomavam as ruas de Porto Alegre no final da tarde de domingo. A festa engrossou no aeroporto, onde cerca de 5 mil pessoas esperaram a chegada dos jogadores cantando o hino do clube e gritando "campeão da série A" e "tetracampeão". Depois do desembarque, às 23h45, os jogadores subiram à parte superior de um ônibus sem teto e foram levados até o Beira-Rio, onde chegaram por volta da 1h30min, seguidos por centenas de carros que não pararam de buzinar, mesmo que fosse madrugada. No estádio do Internacional, cerca de 3 mil torcedores saudaram os jogadores, que seguiram em festa e chegaram a dar a volta olímpica que haviam interrompido no Couto Pereira para não enfrentar as pedras jogadas por alguns torcedores do Coritiba. Nas declarações, os colorados foram unânimes. "Fizemos mais pontos jogando, por isso nos consideramos campeões", afirmava Rafael Sobis. "Fomos melhores no campo, local de todas as decisões do futebol", complementava Tinga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.