Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Festa pelo país na estreia do Brasil na Copa do Mundo tem até boneco gigante

Brasileiros se mobilizam para torcer pela seleção brasileira, que busca o hexa na Rússia

Estadão Conteúdo

17 Junho 2018 | 20h46

O gol de Zuber para a Suíça, no início do segundo tempo, esfriou a animação dos torcedores do Brasil espalhados pelo território nacional. Antes empolgados com a estreia em si e eufóricos após o gol de Philippe Coutinho, os brasileiros tiveram de se contentar com o empate por 1 a 1 na estreia da Copa do Mundo da Rússia. De norte a sul, a sensação foi de que o time do técnico Tite não jogou tudo que pode e aposta-se que ele vai melhorar nos próximos jogos.

+ Empate na estreia não diminui otimismo da torcida em evento com 12 mil em SP

+ Caçado, Neymar sente dores no pé operado, mas diz que 'está inteiro'

Mais de 10 mil pessoas compareceram à Arena da Baixada, do Atlético Paranaense, em Curitiba, para acompanhar a estreia do Brasil. Um telão instalado no gramado permitiu que os torcedores pudessem optar por ficar no gramado ou nas arquibancadas. Após o jogo, muitos deles se decepcionaram com o placar final e esperam mais de Neymar nos próximos confrontos.

No Rio de Janeiro, a concentração ocorreu na rua Alzira Brandão (Alzirão), no bairro da Tijuca. Cerca de 10 mil torcedores se empolgaram e gritaram "o campeão voltou" após o gol de Philippe Coutinho. Com o empate, não faltaram críticas e xingamentos ao árbitro mexicano Cesar Ramos. Outro ponto carioca que ficou lotado de torcedores foi a Praça Mauá, na região central, que também ganhou um telão. Em Campinas (SP), torcedores compareceram em peso ao Largo do Rosário para ver o jogo.

+ Tite vê falta clara em Miranda, mas não quer jogadores reclamando

+ Miranda: 'Jogador me dá um empurrão, mas não estou aqui para julgar'

Tradição baiana desde a Copa do Mundo de 1990, os tambores do Olodum animaram turistas e moradores que acompanharam a estreia junto do palco montado em frente à Fundação Jorge Amado, no bairro do Pelourinho, em Salvador. Bonecos gigantes ajudaram a torcida a se animar no Cais da Alfândega, no centro do Recife. Ao som do frevo, versões de Neymar, Marcelo e Tite deram um tom carnavalesco à Copa.

 

A torcida ficou dividida na festa da embaixada da Suíça, em Brasília. Com um cardápio de comidas e bebidas típicas, incluindo queijo e chocolate, brasileiros e suíços acompanharam o empate.

Em Manaus, centenas de torcedores se concentraram para assistir ao jogo na rua 24 de Agosto, no Morro da Liberdade, onde havia um telão e barracas de comidas tradicionais.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.